Chanceler britânico expressa apoio às conversas de China com dalai lama

Londres, 29 out (EFE) - O ministro de Assuntos Exteriores britânico, David Miliband, expressou hoje apoio à nova rodada de negociações entre China e emissários do dalai lama, as quais disse serem enormemente importantes para resolver a disputa envolvendo o Tibete. Em declaração parlamentar por escrito, Miliband afirmou que esse diálogo oferece o único fórum no qual há uma possibilidade realista de avanço para resolver as divergências entre as partes envolvidas. Apesar de o ministro ter reiterado a preocupação do Governo britânico com a situação dos direitos humanos no Tibete, também ressaltou seu respaldo à integridade territorial da China. Como qualquer outro país da União Européia (UE) e os Estados Unidos, nós consideramos o Tibete como parte da República Popular da China, insistiu o chefe da diplomacia britânica. O ministro destacou também que a postura do dalai lama de se opor à violência e buscar uma autonomia significativa dentro do marco da Constituição chinesa constitui a base para um acordo negociado. Nossa contundente opinião é que a próxima rodada de conversas é essencial para promover o progresso em relação a esse acordo. A participação nessas conversas ajuda o peso da responsabilidade de ambas as partes, acrescentou.

EFE |

O Governo da China anunciou hoje a realização "em um futuro próximo" de uma nova rodada de conversas com emissários do líder religioso para debater o conflito entre ambas as partes.

O anúncio foi feito poucos dias depois que o Parlamento tibetano, em Dharamsala (Índia), convocou para 17 de novembro uma sessão especial, algo que não ocorria desde 1959.

Segundo os analistas, essa decisão poderia marcar uma mudança nas reivindicações por parte do exílio tibetano.

No sábado, o dalai lama disse ter perdido a esperança em que a China mude sua postura em relação ao Tibete, o que foi interpretado pela imprensa como um indício de sua retirada, o que foi desmentido pelos porta-vozes do líder tibetano. EFE pa/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG