Chanceler britânico defende liderança de Brown no Partido Trabalhista

Londres, 14 set (EFE) - O ministro das Relações Exteriores britânico, David Miliband, saiu hoje em defesa do primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown, diante de um grupo de parlamentares que tenta promover um motim para desafiá-lo, às vésperas do congresso anual do Partido Trabalhista. Miliband rejeitou hoje a proposta de realização de um concurso para renovar a liderança do partido e insistiu em que seu chefe é perfeitamente capaz de vencer as próximas eleições. Não apóio o argumento (dos rebeldes) de que devemos convocar um concurso pela liderança, disse o ministro à BBC Radio. Espero que Gordon nos conduza às próximas eleições e o apoiarei nesse trabalho, afirmou. Nos últimos dias, vários deputados trabalhistas pediram abertamente que se desafie a liderança de Brown, segundo eles, para encorajar o debate sobre a direção e o futuro do partido, que continua em queda nas pesquisas. Hoje mesmo, em uma pesquisa realizada pela organização YouGov para o jornal The Sunday Times, a legenda governista está 19 pontos abaixo dos conservadores, com 27% de apoio, contra 46% dos adversários. Na sexta-feira, como resposta aos atos dos rebeldes trabalhistas, Brown demitiu Siobhain McDonagh, encarregada da disciplina do partido. No dia seguinte, a deputada Joan Ryan foi retirada do cargo de enviada pessoal do primeiro-ministro ao Chipre.

EFE |

Ambas haviam questionado a liderança do chefe de Governo.

McDonagh e Ryan escreveram, junto com outros colegas, à direção trabalhista pedindo que emitisse folhetos para nomear os candidatos para o congresso, algo ao que os líderes do partido se negaram, alegando que atualmente existe outro procedimento em vigor.

No entanto, apesar do eco que recebem os críticos de Brown nos meios de comunicação, é difícil que consigam seus objetivos, já que ninguém se ofereceu para fazer oposição ao primeiro-ministro, e por ser necessário o apoio de pelo menos 70 parlamentares para poder formalizar a candidatura de um possível voluntário.

Além de Miliband, outros membros do gabinete ministerial mostraram apoio a Brown, como o ministro de Infância, Escolas e Famílias, Ed Balls, e o de Negócios, John Hutton, segundo quem, com as dificuldades do Governo em plena crise econômica, não é momento de questionar a liderança nem debater sobre o futuro do partido.

De acordo com a imprensa, Brown tentará impressionar os críticos dentro de seu partido com um discurso convincente e novas propostas ideológicas no congresso da legenda, que será realizado do dia 20 a 24 de setembro, em Manchester. EFE jm/rb/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG