César Cielo garante primeiro ouro do Brasil nos Jogos Olímpicos de Pequim

Redação Central, 16 ago (EFE).- O Brasil conquistou hoje seu primeiro ouro nos Jogos Olímpicos de Pequim, com o nadador César Cielo, na prova dos 50 metros nado livre no Cubo Aquático.

EFE |

Além de garantir o primeiro ouro da natação do país na história dos Jogos Olímpicos, Cielo cravou mais uma vez o recorde olímpico, com um tempo de 21s30, no começo do dia dos brasileiros.

Mais cedo, a seleçao de handebol masculino conquistou sua segunda vitória na história dos Jogos, ao derrotar a China por 29 a 22.

Agora o Brasil precisa torcer pela França contra a Espanha para ainda ter chances de classificação.

O dia foi de vitória também em outros esportes coletivos. No futebol masculino, mesmo sem grande atuação, a seleção bateu Camarões por 2 a 0 na prorrogação, com gols de Rafael Sobis e Marcelo.

O Brasil do técnico Dunga teve dificuldades para vencer, mesmo com o adversário jogando com dez, após a expulsão de um camaronês no início do segundo tempo.

Nas semifinais, a seleção terá nada menos que a Argentina pela frente, depois que os rivais sul-americanos eliminaram a Holanda, também no tempo extra.

No vôlei masculino, a seleção de Bernardinho se reencontrou com a vitória ao bater a Polônia com facilidade por 3 sets a 0, parciais de 30-28, 25-19 e 25-19.

Com isso, os brasileiros se recuperaram da derrota para a Rússia na última partida e garantiram a vaga nas quartas-de-final. Para isso, contaram com a volta do ponta Giba, recuperado de lesão.

Já no vôlei de praia, a dupla formada por Ricardo e Emanuel, campeã dos Jogos de Atenas, quase deu adeus ao sonho do bicampeonato olímpico, mas conseguiu superar os russos Barsuk e Kolodinskiy por 2 sets a 1, com parciais de 18-21, 25-23 e 15-12, pelas oitavas-de-final do torneio masculino.

Outra dupla brasileira, formada por Márcio e Fábio Luiz, também se garantiu nas quartas-de-final ao derrotar os japoneses Asahi e Shiratori por 2 sets a 0, parciais de 23-21 e 21-15.

No atletismo, o destaque ficou com Lucimara da Silva, que bateu o recorde sul-americano de heptatlo ao somar 6.076 pontos, quebrando uma marca que já durava 25 anos. No geral, a brasileira terminou na 18ª posição.

O catarinense José Alessandro Bagio ficou em 14º na categoria 20 km da marcha atlética masculina, completando o percurso em 1h21min43.

Nas eliminatórias dos 100m rasos femininos, Lucimar Moura se classificou para as semifinais ao terminar na 34ª posição geral, com o tempo de 11s60.

Já Fabiana Murer garantiu vaga nas semifinais do salto com vara após obter a marca de 4,50m nas eliminatórias.

Por outro lado, Maria Laura Almirão não conseguiu se classificar para as finais dos 400m rasos, ao terminar sua bateria na quinta colocação, com 53s26.

O mesmo aconteceu com Mauro Vinícius Hilário, que não obteve vaga na final da prova do salto em distância. Ele foi apenas o 14º de sua série, com um melhor salto de 7m75, e ficou de fora.

No tiro, Julio Almeida terminou em 11º lugar na final do tiro rápido 25m.

No boxe, Robenílson Vieira foi derrotado por 12 a 6 por Anvar Yunusov, do Tadjiquistão, nas oitavas-de-final da categoria mosca (até 51 kg).

Em sua estréia em Pequim, Robenílson havia derrotado Anuruddah Ratnayake, do Sri Lanka, por 13 a 3.

Já o boxeador Paulo Carvalho superou o ganês Manyo Plange por 21 a 12 e avançou às quartas-de-final da categoria mosca-ligeiro (até 48 quilos).

Carvalho enfrenta agora o cubano Yampier Hernandez, e se vencer, garante ao menos uma medalha de bronze, já que os semifinalistas têm a premiação garantida.

No remo, a dupla brasileira formada por Camila de Carvalho e Luciana Granato ficou em terceiro lugar na final C do skiff duplo leve, enquanto Thiago Gomes e Thiago Almeida acabaram na quinta colocação da prova masculina da modalidade.

Na vela, André Fonseca e Rodrigo Duarte venceram a décima regata da classe 49er, disputada em Qingdao.

Na 470 masculina, Fábio Pillar e Samuel Albrecht vêm na 17ª posição na classificação geral, após dez regatas. Na feminina, Fernanda Oliveira e Isabel Swan estão em terceiro.

Nas outras classes, Bruno Fontes aparece na 21ª posição na classificação geral da laser, após cinco regatas; Robert Scheidt e Bruno Prada estão em 11º na star, após três regatas.

Na classe RS:X, na qual as regatas foram adiadas em virtude do mau tempo, o brasileiro Ricardo Winicki, o Bimba, permanece na nona colocação geral. Os 10 primeiros classificados disputam a medal race, regata que vale em dobro, não pode contar como descarte a decide as medalhas. EFE ev/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG