Cern inaugura hoje oficialmente maior acelerador de partículas do mundo

Genebra, 21 out (EFE) - A Organização Européia para a Pesquisa Nuclear (Cern) faz hoje a inauguração oficial do maior acelerador de partículas do mundo - que está sem funcionar devido a um defeito -, um evento que não contará com a participação de altas personalidades que eram aguardadas.

EFE |

Na inauguração, que acontecerá esta tarde, estarão presentes aproximadamente 1,5 mil convidados, segundo a Cern, liderada pelos representantes dos países-membros do projeto e dos outros que participaram dele.

Porém, ao contrário dos planos que haviam sido feitos quando se esperava que o Grande Colisor de Hádrons (LHC) estivesse funcionando nesta data, os chefes de Estado que haviam confirmado presença, entre eles o presidente francês e de turno da União Européia (UE), Nicolas Sarkozy, não participarão.

A França, em cujo território acontecerá a cerimônia de inauguração, será representada por seu primeiro ministro, François Fillon, e outros Estados-membros europeus serão representados por seus ministros de Ciência ou vice-ministros.

O presidente suíço, Pascal Couchepin, em cujo território também fica o extenso túnel subterrâneo de 27 quilômetros no qual se encontra o acelerador, também fará um discurso na cerimônia.

A cerimônia contará com um buffet de "gastronomia molecular" servido pelo cozinheiro italiano Ettore Bocchia, depois que o chefe de cozinha catalão Ferran Adriá negou que participaria do jantar.

Segundo informações dadas pela Cern, Adriá será o encarregado pelo café que será servido depois do jantar.

O defeito que mantém o acelerador sem funcionar foi descoberto dez dias depois do lançamento do projeto, em 10 de setembro, quando os cientistas conseguiram fazer com que o primeiro feixe de prótons circulasse e desse uma volta completa no túnel, situado sob a fronteira entre Suíça e França.

Após dez dias de operação, um problema em um dos oito setores que formam o acelerador obrigou a experiência a ser interrompida pelo menos até abril de 2009.

O problema consistiu em uma grande fuga de hélio no setor 3-4 do túnel, e, segundo a Cern, após fazer as investigações necessárias "foi confirmado que se deveu a uma ligação elétrica defeituosa entre dois ímãs do acelerador".

"Este incidente foi um acontecimento imprevisto, mas agora tenho certeza de que poderemos realizar as operações necessárias e fazer tudo para que não volte a acontecer nada parecido e possamos prosseguir nossos objetivos de investigação", afirmou há poucos dias o diretor-geral da Cern, Robert Aymar.

A cerimônia de inauguração também incluirá um concerto audiovisual, com músicas do compositor americano Philip Glass interpretadas pela Orquestra da Suíça Romanda. EFE vh/fh/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG