Cerimônia religiosa na Finlândia em homenagem às vítimas do massacre na escola

Uma cerimônia religiosa foi celebrada neste domingo em Kauhajoki, em memória às 10 vítimas do massacre perpetrado esta semana em uma escola profissionalizante desta pequena cidade do oeste da Finlândia.

AFP |

A igreja de Kauhajoki estava cheia e a cerimônia, à qual assistiu a presidente finlandesa, Tarja Halonen, começou com cantos religiosos.

Esta homenagem às dez vítimas, assassinadas terça-feira passada pelo estudante Matti Saari, foi transmitida ao vivo pelas emissoras de TV e rádio da Finlândia.

"A igreja de Kauhajoki é desde terça-feira a casa dos corações partidos. A tragédia de Kauhajoki é uma perda dolorosa para as famílias e para toda a nação", declarou o bispo Simo Peura. "Todos nós temos que compartilhar esta dor", acrescentou o bispo em sua homilia.

A cerimônia durou menos de uma hora.

O bispo ainda disse que a Finlândia precisava fazer seu exame de consciência após esta nova tragédia. "Será que fomos cegos?", perguntou, referindo-se às dificuldades encontradas por muitos jovens finlandeses para ocupar seu lugar na sociedade.

Três membros da platéia acenderam 11 velas, uma para cada uma das vítimas de Kauhajoki e a última para o assassino.

Na manhã de terça-feira, Matti Saari, um estudante em hotelaria de 22 anos, invadiu uma sala de aula da escola profissionalizante de Kauhajoki e matou nove de seus colegas e um professor com uma pistola semi-automática antes de se suicidar.

Kauhajoki tem 14.000 habitantes e fica 360 km a oeste de Helsinque.

O massacre de terça-feira foi o segundo em menos de um ano cometido em um estabelecimento escolar da Finlândia.

Em novembro de 2007, um estudante de 17 anos, Pekka Eric Auvinen, matou em seu colégio de Jokela, ao norte de Helsinque, três adultos e cinco alunos antes de se suicidar.

Segundo a polícia, é provável que os dois assassinos tenham mantido contato.

tk/yw

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG