Cerimônia em Viena premia 12 mulheres por contribuição ao mundo

Viena, 5 mar (EFE).- A rainha Noor da Jordânia entregou hoje os prêmios Womens World Awards a 12 mulheres escolhidas por sua contribuição artística e social, entre as quais se encontram as atrizes Monica Bellucci, Claudia Cardinale e Marianne Faithfull, e a cantora Anastacia, entre outras.

EFE |

Os prêmios foram entregues em uma cerimônia realizada na capital austríaca e na qual se apresentaram Anastacia, Kelly Clarkson e o cantor italiano Zucchero, que dedicou uma canção, "Miserere", ao tenor Luciano Pavarotti, morto em 2007.

O evento não foi isento de polêmica. O promotor dos Women's World Awards, Georg Kindel, acusou o Governo do Iêmen de reter e retirar o passaporte de uma das escolhidas, Nujood Ali, que, aos 10 anos, é a mulher mais jovem a se divorciar, após ter sido forçada a se casar com um homem de 30 anos no país.

Nujood recebeu o prêmio "À esperança", por representar uma fonte de inspiração a milhões de mulheres.

A atriz italiana Monica Bellucci foi agraciada no quesito interpretação por ter encarnado papéis "profundamente comoventes" como o de Maria Madalena em "A paixão de Cristo" (2004).

A estatueta em homenagem à carreira foi concedida à cantora e atriz Marianne Faithfull, ícone de uma geração nos anos 70 por sua turbulenta colaboração com os Rolling Stones e sua relação com Mick Jagger.

Anastacia, por sua vez, foi considerada uma das artistas musicais mais populares dos dias de hoje, com 34 milhões de discos vendidos e por seu compromisso com as causas sociais, segundo os organizadores.

O prêmio "Benazir Bhutto à tolerância" foi recebido pela atriz Claudia Cardinale pelo trabalho como embaixadora de honra da Organização das Nações Unidas para a educação, a ciência e a Cultura (Unesco).

Outra premiada foi a top israelense Bar Refaeli, pela influência no mundo da moda em 2008, enquanto sua colega Elle Macpherson foi agraciada pelo conjunto da carreira nas passarelas.

O trabalho a favor da infância e em prol dos direitos humanos de Betty Williams, Nobel da Paz em 1976, também foi lembrado na cerimônia.

Enquanto Angela Missoni recebeu um prêmio pelo trabalho como estilista, a cantora Kelly Clarkson foi reconhecida na categoria entretenimento.

Marilyn Carlson Nelson, presidente da companhia Carlson, recebeu um prêmio pelo trabalho como empresária no ramo hoteleiro, que a levou a ser incluída na lista das 100 mulheres mais poderosas pela revista "Forbes".

Já como exemplo social, por ter criado uma associação de vítimas do genocídio de Ruanda, a agraciada foi Esther Mujawayo, devido ao trabalho humanitário para proporcionar esperança aos sobreviventes.

EFE ll/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG