Cerco a Mumbai se aproxima do fim e tropas caçam militantes

Por Rina Chandran MUMBAI (Reuters) - Tropas indianas trocam tiros com militantes islâmicos enquanto se aproxima o fim do cerco a um hotel de luxo e a um centro judaico em Mumbai na sexta-feira. Militantes, no entanto, ainda mantêm alguns estrangeiros reféns, segundo autoridades.

Reuters |

O chefe de uma das unidades de tropas envolvidas na operação, que expulsaram os militantes do hotel Taj Mahal, disse que viu de 12 a 15 corpos somente em um quarto. O total de cadáveres no hotel é de 50.

Os soldados encontraram dinheiro, munição e carteiras de identidade pertencentes a cidadãos da Mauritânia, que eles suspeitam pertencer aos militantes, disse o chefe das tropas em entrevista coletiva.

Autoridades do governo e do Exército disseram que as operações devem ser concluídas em algumas horas após os ataques coordenados de quarta-feira, que mataram pelo menos 121 pessoas.

Mas emissoras de TV indianas informaram a ocorrência de novos tiroteios do lado de fora da principal estação ferroviária de Mumbai.

Em outro local, no Trident-Oberoi Hotel, hóspedes bem vestidos carregavam suas malas e eram escoltados para ônibus e carros após um cerco que durou 36 horas. A polícia disse que 93 hóspedes já foram retirados do local.

"Eles estão retirando todo mundo", disse uma mulher indiana que deixava o hotel com o marido.

Pelo menos um militante ainda estaria mantendo dois reféns no hotel Taj Mahal, segundo um comandante do Exército.

O comandante General N. Thamburaj disse a jornalistas que quase todos os hóspedes e funcionários foram retirados do hotel e as operações ali devem ser concluídas em algumas horas.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG