Cerca de 500 candidatos cometeram fraude em eleições no Afeganistão

Resultados preliminares das eleições serão divulgados entre 17 e 18 de outubro

EFE |

Cabul - Cerca de 500 candidatos, em torno de 20% do total, cometeram práticas fraudulentas nas últimas eleições legislativas do Afeganistão, informou hoje à Agência Efe um porta-voz da comissão eleitoral (IEC) do país. A Comissão de Queixas (EEC), órgão encarregado de divulgar a fraude, recebeu cerca de 4 mil denúncias de irregularidades, segundo o porta-voz Noor Mohammed Noor, o que poderia atrasar o anúncio dos resultados preliminares, previstos para 17 ou 18 de outubro.

Até agora, a EEC invalidou os votos de 200 colégios eleitorais e ordenou a recontagem dos sufrágios procedentes de outros 250, sobre o total de 5.816 centros de voto que abriram as urnas durante a jornada eleitoral de 18 de setembro. Segundo Noor, a maioria dos candidatos acusados terá de pagar uma multa, mas a Comissão remeterá à Procuradoria os casos mais graves.

O porta-voz acrescentou que, em uma centena de casos, os candidatos ultrapassaram o limite de gastos permitidos para a campanha sem informar suas fontes de financiamento e sem registrar sequer suas rendas e patrimônios. A Comissão de Queixas já desempenhou um papel fundamental nas eleições presidenciais afegãs de 2009, quando anulou centenas de milhares de cédulas fraudulentas, a maioria a favor do atual presidente, Hamid Karzai, posteriormente vencedor. As eleições parlamentares de setembro transcorreram em meio a suspeitas de fraude, com denúncias de compra e venda de votos.

    Leia tudo sobre: iGafeganistãoeleiçõesfraude

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG