Cerca de 1.400 presos fazem greve de fome no Chile

Protestos acontecem nas cidades de Santiago e Concepción

AFP |

Cerca de 1.400 presos realizam duas greves de fome em duas prisões do Chile para exigir melhores condições carcerárias, informaram nesta sexta-feira fontes da polícia chilena e um porta-voz dos manifestantes. Os protestos ocorrem em prisões de Santiago e da cidade de Concepción e envolvem cerca de 1000 e 400 detentos, respectivamente.

"Há cerca de 1.000 presos em greve de fome. Pedem que seja revisada sua situação de condenação, à qual todos têm direito, e que tenham acesso aos benefícios carcerários", disse à AFP uma fonte da polícia, em referência aos presos do Centro de Detenção Preventiva de Santiago Sul, que estão em greve de fome desde terça-feira.

Na cidade de Concepción (519 km ao sul de Santiago), cerca de 386 réus iniciaram nesta sexta-feira outra greve de fome na prisão de Manzano, para protestar contra as precárias condições carcerárias, segundo a rede de televisão CNN Chile. "São dois módulos que estão em greve", disse à rede de tv o porta-voz dos presos de Concepción, David Romo. Um incêndio que, na última semana, matou 81 presos na cadeia de San Miguel, colocou em evidência as péssimas condições das prisões do Chile.

    Leia tudo sobre: chileprisãogreve de fome

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG