Cerca de 120 brasileiros devem ser retirados de área alagada perto de Machu Picchu

Os cerca de 120 turistas brasileiros que estão na região alagada de Cuzco, no Peru, próxima ao sítio arqueológico de Machu Picchu, devem ser resgatados ainda nesta terça-feira. Segundo o Ministério das Relações Exteriores, o grupo faz parte dos cerca de 2 mil turistas que ficaram ilhados após as fortes chuvas no local.

iG São Paulo |

O Ministério das Relações Exteriores informou que todos estão bem e não há mortos. Eles passaram a madrugada desta terça-feira em vagões de trens por falta de locais apropriados para serem abrigados.  

Aproximadamente 2 mil turistas ¿ entre brasileiros, europeus e norte-americanos ¿ estavam na região da cidade de Águas Calientes. A cidade é uma espécie local de apoio para quem visita a região.

O Ministério do Comércio e Turismo e a Defesa Civil do Peru pretendem retirar os turistas com a ajuda de seis helicópteros policiais e militares . As crianças e idosos terão prioridade de embarque.

Alguns turistas se arriscam a tentar deixar os locais tomados pelas águas por meio de trilhas que há na mata fechada, mas a caminhada costuma levar mais de oito horas.


Primeiros turistas foram resgatados na última segunda-feira / AP

Falta de local para dormir

"O dinheiro de muitas pessoas já acabou e estão implorando por comida e água para os seus filhos ou para acomodações. Outros estão espalhados no chão da estação de trens à espera do resgate", disse a turista mexicana Alva Ramirez, de 40 anos, em entrevista por telefone à agência AP.

Alva disse que os hotéis da cidade estavam cheios e muitos turistas dormiram nas ruas da cidade.

O turista chileno Martin Squella, de 19 anos, disse que muitos restaurantes elevaram os preços para obter vantagem sobre a alta demanda.

De acordo com dados oficiais, 40% das pessoas que permanecem na região estão sem água potável e a comida está acabando. As autoridades de Cuzco informaram que foi declarado estado de emergência por 60 dias. Também está proibida a entrada de turistas na região nos próximos três dias.

Enchentes e deslizamentos

As chuvas que caem na região turística de Machu Picchu desde o final de semana estão sendo consideradas as mais intensas dos últimos 15 anos, segundo os serviços de meteorologia peruanos.

As autoridades peruanas estão em alerta desde sábado em decorrência das fortes chuvas que bloquearam a ferrovia que dá acesso a Machu Picchu.


Forte chuva inundou a cidade de Aguascalientes, perto de Machu Pichu / AP

Centenas de caminhões que transportam mercadorias estão parados nas principais estradas do sudeste andino por falta de condições de locomoção. A empresa PeruRail, de capital britânico, operadora da rota entre Cusco e Machu Picchu, informou que a via férrea também está interrompida.

Pelos dados oficiais, nos últimos três dias as chuvas que transbordaram os rios Vilcanota e Rio Blanco provocaram quatro mortes, causaram inundações em cerca de 50 casas da região e destruíram centenas de plantações de milho.

As ruínas de diversos sítios arqueológicos já sofreram danos, mas o governo do Peru ainda não detalhou as perdas.

* Com EFE e Agência Brasil

Leia mais sobre Peru

    Leia tudo sobre: peru

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG