Central elétrica de Gaza é paralisada por falta de combustível

A única central elétrica da Faixa de Gaza parou de funcionar no fim da tarde desta segunda-feira devido à falta de combustível, afirmou uma fonte palestina à AFP.

AFP |

"A central parou completamente, apesar de fornecer 40% da eletricidade da Faixa de Gaza; o resto vem de Israel", disse Qanaan Obeid, vice-diretor do departamento da energia de Gaza.

O Hamas, que controla a Faixa de Gaza, cortou a eletricidade em alguns bairros de Gaza para poder seguir alimentando outros.

Israel decidiu nesta segunda-feira continuar a não entregar combustível à Faixa de Gaza e manter fechados os pontos de passagem, devido a disparos de foguetes contra seu território.

"Em conseqüência do prosseguimento dos disparos, o ministro da Defesa, Ehud Barak, decidiu manter o fechamento e não autorizar a entrega de combustível", informou o ministério da Defesa.

Segundo um porta-voz militar, um foguete da Faixa de Gaza se abateu nesta segunda-feira sobre a região de Sderot, sem fazer vítimas.

A chancelaria israelense denunciou em comunicado "a exploração cínica" e "a desprezível manipulação midiática" pelo Hamas da situação da população civil de Gaza.

O comunicado destaca que Israel fornece 124 megawatts através de 10 linhas de alta tensão instaladas na Faixa de Gaza, suprindo 70% das necessidades desta região. Além disso, 17 megawatts (5% do consumo total) são fornecidos pelo Egito. "A central de Gaza fornece em média 70 a 80 megawatts, que representam 25% do consumo total" da região, afirma o texto.

Uma porta-voz da Comissão Européia, que financia o combustível da única central elétrica de Gaza, disse à AFP que "segundo o escritório israelense de ligação com os territórios palestinos, as entregas à central podem ser reiniciadas amanhã (terça-feira)".

rb/yw/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG