Centenas de indianos se negam a deixar áreas inundadas por rio

Nova Délhi, 5 set (EFE).- Centenas de pessoas se negam a deixar os distritos que ficaram alagados pela mudança de curso de um afluente do rio Ganges no norte da Índia, informou hoje uma fonte oficial.

EFE |

As equipes de resgate, com ajuda do Exército, conseguiram retirar 769 mil aldeões do estado de Bihar nas últimas duas semanas, após a ruptura de diques e do transbordamento do rio Kossi.

"Centenas de pessoas dizem que não querem ser evacuadas e deixaram claro que desejam voltar aos distritos mais afetados", lamentou o responsável adjunto pela gestão de desastres do Governo de Bihar, Pratyay Amrit, citado pela agência de notícias "Ians".

Um oficial envolvido nos trabalhos de resgate, o comandante P.S.

Rathi, disse ter ficado surpreendido ao comprovar que alguns moradores locais se negavam a ir para áreas seguras e só aceitavam comida.

"Cheguei junto com uma equipe de resgate ao povoado de Sawai Madhopur, no distrito de Supaul, onde havia mais de 200 pessoas isoladas. Elas se negaram (a sair), inclusive, depois que implorássemos para que viessem conosco", relatou Rathi.

Os números oficiais de mortos pelas inundações oscilam entre 50 e 70 pessoas, embora a ONG Action Aid tenha advertido que os desaparecidos não estão incluídos e que dois mil aldeões podem ter morrido.

O ministro do Desenvolvimento Rural indiano, Prasad Singh, anunciou hoje uma ajuda de 16 bilhões de rúpias (US$ 358 milhões) para os trabalhos de resgate e para a reconstrução de diques dos rios da região, segundo um comunicado ministerial. EFE amp/fh/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG