Cenas de guerra em Bagdá por causa de prisão de chefe miliciano

As forças iraquianas apoiadas por soldados americanos tentavam impor neste domingo seu controle sobre os milicianos de um dos bairros mais antigos de Bagdá, em meio a disparos de armas automáticas e franco-atiradores emboscados.

AFP |

É a primeira vez em mais de um ano que são registrados enfrentamentos dessa gravidade em Bagdá.

Dois civis morreram no sábado durante esses confrontos, que também deixaram 15 feridos, incluindo quatro soldados, quatro civis e sete membros das "Sahwa", ex-rebeldes reconvertidos na luta contra a al-Qaeda.

Os enfrentamentos começaram depois que as forças especiais iraquianas prenderam no sábado o chefe das "Sahwa", Adel Machahadani, no bairro de Fadel, centro histórico da capital.

Segundo um jornalista da AFP no local, todas as saídas do bairro foram cortadas pelo exército iraquiano e as ruas também estavam vazias enquanto helicópteros sobrevoavam o setor.

Veículos blindados americanos circulavam pelo bairro difundindo uma mensagem em árabe que ordena que os habitantes entreguem suas armas em determinados lugares indicados.

Este bairro, que outrora foi um reduto da Al-Qaeda, recuperou a calma em 2008 graças aos Sahwa, agora rebelados. A partir dessa época, as forças de ordem e os milicianos controlam os pontos de controle.

A capital iraquiana não havia sido cenário de confrontos semelhantes desde abril de 2008, quando americanos e iraquianos lançaram uma ofensiva contra o reduto da milícia extremista xiita de Moqtada Al-Sadr em Sadr City, uma grande favela do nordeste de Bagdá.

kat-sk/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG