CENÁRIOS-Como a Coreia do Norte poderia retaliar contra a ONU

Por Jack Kim SEUL (Reuters) - É pouco provável que a Coreia do Norte retalie militarmente contra as sanções que a ONU planeja lhe impor por seu teste nuclear, mas essa possibilidade não deve ser totalmente descartada, disse o secretário de Defesa dos EUA, Robert Gates.

Reuters |

Seguem algumas medidas que o Estado isolado poderia tomar no caso de ser adotada a resolução, redigida pelos Estados Unidos e endossada pelos quatro outros membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU, mais Japão e Coreia do Sul.

RETÓRICA ENFURECIDA, DEPOIS DIPLOMACIA

-A Coreia do Norte pode lançar uma crítica violenta mas não reagir militarmente com suas armas convencionais ou estratégicas. Quando o Conselho de Segurança aprovou uma resolução em 2006, após o primeiro teste nuclear norte-coreano, o enviado norte-coreano à ONU descreveu a iniciativa como "coercitiva" e "típica de gângsteres". O Ministério do Exterior norte-coreano disse que tinha sido uma declaração de guerra.

-Mas dois meses depois a Coreia do Norte se preparou para voltar à mesa de negociações, pondo fim a um ano de impasse em conversações sobre desarmamento.

-Autoridades e especialistas dizem que as iniciativas de provocação recentes estão ligadas ao fato de o líder Kim Jong-il estar organizando sua sucessão por um de seus filhos. O combate contra a suposta hostilidade da comunidade internacional vem sendo uma das bases da propaganda política doméstica norte-coreana, usada para consolidar o poder em torno de Kim.

TESTES DE MÍSSEIS

-A Coreia do Norte disse que testará um míssil balístico intercontinental se o Conselho de Segurança não se desculpar por ter punido o país pelo lançamento de foguete feito em abril, visto amplamente como teste disfarçado de míssil que violou as resoluções da ONU. A Coreia do Norte parece estar preparando um míssil de longo alcance para um teste que pode ser realizado ainda este mês.

-Pyongyang também parece estar preparando testes de mísseis de médio alcance que poderiam atingir qualquer ponto da Coreia do Sul e a maior parte do Japão.

MAIS TESTES NUCLEARES

-Especialistas dizem que a Coreia do Norte precisa realizar mais testes para conseguir produzir uma ogiva nuclear que possa montar num míssil.

-Cada teste consome parte do suprimento parco de material físsil norte-coreano, que antes do teste de maio se pensava ser suficiente para seis a oito bombas.

-A realização de testes adicionais depende de se contrabalançar o desejo de produzir um artefato nuclear que o país consiga disparar num míssil contra seu desejo de aperfeiçoar o desenho da bomba.

PROGRAMA DE ARMAS NUCLEARES

-A Coreia do Norte poderia retomar todas as operações de sua usina nuclear de Yongbyon e anunciou que já está processando plutônio no local.

-Ela pode também intensificar seu trabalho de enriquecimento de urânio para a produção de armas.

JORNALISTAS AMERICANAS

-A Coreia do Norte na segunda-feira condenou duas jornalistas americanas a 12 anos de trabalhos forçados e pode querer usá-las para aumentar sua alavancagem de barganha com os Estados Unidos.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG