Celso Amorim destaca importância da relação entre Brasil e Marrocos

Rabat, 25 jun (EFE).- O ministro das Relações Exteriores Celso Amorim considerou hoje, em Rabat, que o desenvolvimento das relações entre Brasil e Marrocos contribui para reforçar as relações da América Latina com o mundo árabe e com a África.

EFE |

Essa foi uma das declarações feita em coletiva de imprensa organizada no fim da realização da primeira sessão da Comissão Mista marroquino-brasileira que começou ontem em Rabat, e na qual compareceu o chanceler marroquino, Taib Fassi Fihri.

Amorim insistiu na "necessidade de desenvolver as relações com o Marrocos em todos os níveis" e acrescentou que "os obstáculos para a multiplicação das trocas econômicas residem na falta, sobretudo, de linhas aéreas diretas entre" os dois países.

Sobre o conflito do Saara Ocidental - território anexado pelo Marrocos desde 1975 - Amorim reiterou que o Brasil respeita os esforços realizados pelo enviado especial do secretário-geral da ONU, Peter Van Valsum para buscar "uma solução realista, que inclua o diálogo e o entendimento".

Já Taib Fasi Fihri chamou de "histórica" a primeira sessão da comissão mista, entre Marrocos e Brasil, e destacou a importância dos acordos assinados na ocasião.

Fasi disse ainda que o Marrocos tem uma postura positiva perante a "demanda legítima" do Brasil para obter um posto permanente entre os membros do Conselho de Segurança da ONU.

As duas partes assinaram oito acordos no âmbito da saúde veterinária, das tecnologias do meio ambiente e da água, da integração de deficientes físicos e pessoas cegas, do urbanismo e da engenharia civil.

Celso Amorim foi recebido hoje pelo primeiro-ministro marroquino, Abbas El Fassi, e pelo ministro de Economia e Finanças do Marrocos, Salaheddine Mezouar.

Ontem, Amorim se reuniu com a ministra da Energia, das Minas, da Água e do Meio Ambiente do Marrocos, Amina Benkhadra.

Nesta reunião as duas partes examinaram projetos de produção de biocombustíveis, de gestão da água e de exploração de xistos betuminosos.

As duas partes abordaram também a prospecção petrolífera "off shore" relativa à costa atlântica marroquina e foi mencionada a experiência da Petrobrás neste método, embora sem dar mais detalhes.

Amorim sugeriu que seja feita uma troca de visitas e de especialistas entre os dois países, para concretizar medidas de cooperação neste setor energético. EFE hm/bm/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG