CE pede inclusão de líder oposicionista em Governo de união no Zimbábue

Bruxelas, 2 jul (EFE).- A Comissão Européia (CE) pediu hoje ao Governo do Zimbábue para que inclua o líder oposicionista Morgan Tsvangirai como primeiro-ministro ou chefe de Governo em um Executivo de união nacional, para o que pediu o respaldo da União Africana (UA).

EFE |

Bruxelas não reconhece a legitimidade das eleições realizadas na semana passada no Zimbábue, nem a posse de Robert Mugabe como presidente, já que o pleito não teve um segundo turno "transparente e adequado".

O porta-voz de Desenvolvimento da CE, John Clancy, afirmou em entrevista coletiva que "qualquer Governo de transição deve incluir o chefe da oposição como primeiro-ministro ou chefe de Governo", e lembrou que Morgan Tsvangirai obteve no primeiro turno 47% dos votos.

Nesse sentido, ressaltou que a União Européia mantém todo o seu apoio à UA em seus esforços para conseguir um "Governo de união nacional que permita superar este período".

O líder oposicionista Tsvangirai obteve mais de 230 mil votos no segundo turno, apesar de ter se retirado oficialmente do pleito por causa da campanha de violência contra seus partidários comandada pelo Governo.

Quanto à possibilidade de que a UE aplique sanções ao Zimbábue, o porta-voz afirmou que "atualmente todas as opções são cogitadas", mas afirmou que cabe aos países tomar essa decisão.

O porta-voz lembrou ainda que a UE dispõe desde 2002 de uma série de "medidas políticas" para impedir que Mugabe ou qualquer membro de seu Governo vá à Europa.

Também ressaltou que a UE proporcionou no ano passado mais de 90 milhões de euros ao Zimbábue em conceito de ajuda humanitária, dedicados a auxiliar a população e especialmente a melhorar as condições sanitárias do país. EFE rja/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG