Bruxelas, 14 abr (EFE).- O comissário europeu de Desenvolvimento, Andris Piebalgs, insistiu hoje aos países da União Europeia (UE) a cumprir os compromissos de ajuda aos países em desenvolvimento após o retrocesso registrado em 2009, e pediu que a crise econômica global não seja uma desculpa.

"A suave queda (da ajuda) em 2009 deveria ser revogada rapidamente se queremos respeitar os compromissos que assumimos para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM)" para erradicar a pobreza extrema, indicou Piebalgs em comunicado, e acrescentou que "a crise não pode ser uma desculpa".

A Comissão Europeia (CE) reagiu assim à publicação dos fundos estatais apresentados pelos 23 membros do Comitê de Ajuda ao Desenvolvimento (CAD) da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), que ascenderam a US$ 119,573 bilhões em 2007.

Assim, a ajuda pública ao desenvolvimento dos países ricos subiu 0,7% no ano passado e representou 0,31% de sua Renda Nacional Bruta (RNB) global, longe do objetivo internacional de 0,7%.

Bruxelas lamentou que a crise financeira mundial tenha "desacelerado" o fluxo de ajudas, e que estas tenham crescido menos de 1% em termos reais em comparação com 2008.

Concretamente, indicou que as contribuições dos estados da União Europeia no CAD aos países em desenvolvimento registraram um "leve" retrocesso, embora tenha lembrado que a UE continua sendo o doador global "mais generoso".

Os doadores europeus pertencentes ao CAD apresentaram 56% do total da ajuda mundial, apontou.

Para tentar estimular os esforços em matéria de desenvolvimento dos países europeus, o Executivo comunitário vai propor em 21 de abril um "plano de ação" com 12 pontos para transformar em "meta realista" o objetivo de dedicar 0,7% da RNB a ajuda ao desenvolvimento em 2015.

A Comissão elogiou os países da UE que continuaram aumentando suas contribuições em 2009, e destacou que, entre os cinco maiores doadores mundiais em termos absolutos, há três estados europeus: França, Alemanha e Reino Unido. EFE rja/dm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.