Caxemira indiana fica sob toque de recolher após protestos

Autoridades intervêm após cinco pessoas morrerem e pelo menos 50 ficarem feridas em violentas manifestações

EFE |

Nova Délhi- As autoridades indianas impuseram toque de recolher por tempo indeterminado nas grandes cidades do vale da Caxemira sob sua soberania neste sábado, depois que cinco civis morreram e pelo menos 50 ficaram feridos em violentos protestos, segundo fontes oficiais citadas pelas agências "Ians" e "PTI".

Com a morte de dois manifestantes neste sábado, já são 20 os civis falecidos desde o início, em 11 de junho, da onda de agitação civil que vive a histórica região cuja soberania é disputada por Índia e Paquistão.

Fontes oficiais informaram à agência "PTI" que o toque de recolher foi imposto na maioria de cidades do vale da Caxemira neste sábado, como medida preventiva após dia violento na sexta-feira. Duas pessoas morreram na conflituosa localidade de Sopore a mãos de agentes da Força Policial da Reserva Central (CRPF), que dispararam contra um grupo de manifestantes.

Entre a noite de sexta e a manhã de sábado (pelo horário local), morreram outros dois civis feridos por disparos das forças de segurança na localidade caxemiriana de Pattan, onde uma multidão atacou um quartel policial.

Na mesma cidade, neste sábado, foram registrados novos enfrentamentos entre civis e as forças de segurança, que tentavam dispersar a multidão e impor o toque de recolher. Uma adolescente morreu pelos disparos dos agentes e outras quatro pessoas ficaram feridas, duas delas em estado grave.

As sextas-feiras, dias de oração, costumam ser escolhidas pelos principais líderes separatistas para convocar protestos na região, imersa há mais de um mês em uma contínua agitação pelas mortes de civis às mãos das forças indianas.

Entre 50 e 70 pessoas ficaram feridas nesta sexta em vários pontos do estado, com especial tensão nas localidades de Sopore, Pattan e Tral, onde a população atacou quartéis policiais, estações de trem e veículos.

Na Caxemira, única região indiana de maioria muçulmana, há centenas de milhares de soldados das forças de segurança e do Exército para proteger a fronteira com o Paquistão e controlar os movimentos insurgentes locais.

A Caxemira continua sendo motivo de disputa territorial entre Índia e Paquistão desde a independência e partilha do subcontinente, no ano de 1947. Além disso, na região também há forte sentimento independentista.

* Com EFE

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG