Cavalos selvagens ameaçados de sacrifício em massa nos EUA

Ante a ameaça das autoridades americanas de sacrificar em massa os mustangs dos estados do Oeste, os defensores dos animais se mobilizam para denunciar os erros burocráticos na gestão dessas manadas de cavalos selvagens, descendentes distantes dos eqüinos que chegaram à América do Norte com os espanhóis.

AFP |

Cerca de 33.000 cavalos vivem em liberdade em vários estados americanos, mas o Departamento de Administração de Terras (BLM) defende a necessidade de reduzir a população em 6.000 exemplares. Além disso, outros 33.000 cavalos selvagens capturados vivem em centros fechados.

É a primeira vez que funcionários federais propõem abater cavalos selvagens desde que foram introduzidas em 1971 leis federais para proteger estes animais descritos pelo Congresso como "símbolos vivos do espírito histórico e pioneiro do Oeste".

Segundo as autoridades, é necesário diminuir o número de cavalos para uma gestão mais saudável das terras, mas a possibilidade de uma matança autorizada dos animais colocou as ONGs em pé de guerra.

Para Holly Hazard, da Sociedade Protetora dos Animais americana, foi a BLM que demorou em aplicar estratégias de controle da população de mustangs, apesar dos defensores dos animais há anos promoverem campanhas para estabilizar as manadas selvagens.

Para Esther Emmons, portavoz da BLM em Nevada, as autoridades preferiam não ter de optar pelo sacrifício. "Em um mundo ideal, gostaríamos que 33.000 pessoas viessem adotar esses cavalos", afirmou.

str/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG