Berlim, 23 set (EFE) - O ex-tratador do urso polar Knut, Thomas Dörflein, morreu de infarto, informou hoje a Procuradoria de Berlim, um dia depois do falecimento daquele que foi considerada a mãe adotiva do animal mais midiático dos últimos tempos.

Dörflein, de 44 anos, morreu repentinamente em uma casa de Berlim após sofrer uma parada cardíaca, como conseqüência de uma trombose, indicaram fontes da Procuradoria.

A notícia da morte do ex-tratador, na segunda-feira, estava cercada de mistério, já que, inicialmente, a Polícia não informou do motivo e apenas destacou que não havia indícios de suicídio ou de intervenção de outra pessoa.

A imprensa lembrou que o tratador sofria de uma longa doença e afirmou que Dörflein morreu na casa de sua esposa.

O popular "Bild" dedica hoje grandes espaços a Dörflein, com imagens dos primeiros meses de vida de Knut, nas quais aparece alimentando, brincando e nadando com o ursinho na piscina do zôo.

Diversas personalidades, como o prefeito-governador de Berlim, o social-democrata Klaus Wowereit, e o ministro do Meio ambiente, Sigmar Gabriel, transmitiram na segunda-feira suas mensagens de condolência pela morte de Dörflein.

O "Bild" afirma ainda que Knut, que já é um animal adulto, fez luto à sua forma e se refugiou em sua caverna, supostamente porque seu instinto lhe disse que a "mãe adotiva" tinha morrido. EFE gc/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.