Catedráticos de Teerã criticam repressão estudantil em carta a Khamenei

Teerã, 4 jan (EFE).- Um grupo de catedráticos e professores iranianos enviou uma carta aberta ao líder supremo da Revolução, o aiatolá Ali Khamenei, na qual criticam a repressão estudantil e afirmaram que o Governo não tem condições de resolver a atual crise.

EFE |

Segundo o site "Jaras", administrado pela oposição, a carta foi assinada por 88 professores e catedráticos de faculdades técnicas da Universidade de Teerã.

"Os ataques noturnos as casas dos estudantes indefesos, os ataques diurnos no campus, as agressões e detenções, não são uma mostra do poder do Estado nem dão brilho a sua personalidade islâmica e republicana", denuncia o texto.

"Para nós é muito difícil acreditar que na República Islâmica é possível que um grupo equipado até os dentes tenha permissão para invadir a universidade e agredir durante dois dias aos estudantes, filhos desta terra, romper os bens e insultar aos catedráticos", agregam.

Os docentes lamentam que tudo ocorra em nome da defesa do Islã e da "Velayat-Faqiq" (o sistema teocrático que rege no Irã) e ninguém seja responsabilizado por isso. EFE msh/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG