Castro propõe troca de dissidentes por agentes cubanos presos nos EUA

O presidente cubano, Raúl Castro, propôs nesta quinta-feira, em Brasília, a libertação de dissidentes detidos em Cuba por cinco agentes cubanos presos nos Estados Unidos, acusados de espionagem.

AFP |

Ao destacar que a aproximação entre Havana e Washington não pode se dar unicamente por "gestos unilaterais", Raúl Castro propôs trocar dissidentes detidos na ilha por cinco cubanos presos nos Estados Unidos desde 1998, condenados em 2001 em Miami por espionagem.

"Estamos dispostos a falar com o senhor (Barack) Obama, em qualquer lugar e quando decidir, mas em absoluta igualdade de condições", afirmou Castro sobre o futuro presidente dos Estados Unidos.

"Vamos fazer gesto por gesto. Estes prisioneiros (dissidentes cubanos), se querem soltá-los, que nos digam, e lhes enviaremos para lá (EUA) com família e tudo, mas que nos devolvam nossos cinco heróis. Será um gesto de ambas as partes", disse Castro, ao final de um encontro com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Em Washington, o porta-voz do departamento de Estado Robert Wood disse à AFP que não há base para a troca proposta por Castro porque envolve "prisioneiros políticos detidos por simplesmente protestarem de forma pacífica" contra "cinco espiões julgados e condenados pelo sistema judicial americano".

"Há tempo instamos o governo cubano a libertar os presos políticos e insistimos que o faça imediatamente", destacou Wood.

sl/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG