Casos suspeitos e mortes por gripe suína diminuem na Cidade do México

México, 30 abr (EFE).- O número de casos suspeitos de gripe suína e de mortes por doenças respiratórias na Cidade do México diminuiu, mas é preciso esperar até o domingo para poder confirmar uma estabilização real da epidemia, disse hoje o prefeito da capital, Marcelo Ebrard.

EFE |

Em entrevista coletiva, as autoridades da cidade disseram que, na quarta-feira, foram registrados 194 novos casos suspeitos de cidadãos com problemas respiratórios atípicos, dos quais 18 foram hospitalizados.

Além disso, 16 pacientes receberam alta após melhorarem e foram contabilizadas duas mortes, o que leva o número total de falecidos na cidade para 25.

No entanto, apenas em cinco vítimas fatais foi confirmada a presença do vírus da gripe suína.

Na quinta-feira passada, quando foi dado o alerta do foco epidêmico no país, foram registrados 127 casos suspeitos na capital mexicana.

A partir disso, os números aumentaram: na sexta-feira, houve 210 casos suspeitos e, no sábado, 351, o dia com maior número.

No domingo, diminuíram para 326; na segunda-feira, para 320, na terça-feira, aumentaram de novo para 346, e, na quarta-feira, caíram para 194.

"Os números nos dizem que vamos para uma etapa de estabilização que terá que ser confirmada amanhã, sábado e domingo", disse o prefeito.

O líder local disse que é preciso passar no mínimo dez dias desde o início do alerta sanitário do último dia 23 para determinar as medidas sanitárias de emergência adotadas na cidade tiveram sucesso, porque o tempo de incubação do vírus é de cinco a sete dias.

"Nesta data, nossa preocupação era que tivéssemos um número grande de contágios na cidade, com uma tendência a crescer, mas, com as medidas tomadas (...), não temos essa curva exponencial de crescimento de contágios", disse Ebrard. EFE jd/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG