(embargada até as 21h59 de Brasília deste sábado) Washington, 25 out (EFE) - A artrite reumática aumentou nos Estados Unidos após quatro décadas de constante queda, revelou um estudo apresentado hoje perante a reunião anual do Colégio Americano de Reumatologia em San Francisco (Califórnia). Segundo cientistas da Clínica Mayo, o aumento ocorreu entre 1995 e 2005, após uma queda permanente entre 1955 e 1994. Esta é uma descoberta importante e indica que é necessária uma maior investigação para entender as causas e o tratamento desta devastadora doença, assinalou Sherine Gabriel, reumatologista da Clínica Mayo. Segundo os pesquisadores, nas décadas anteriores a 1995, calculava-se que, neste país, aproximadamente 36 em cada 100 mil mulheres eram afetadas pela doença. No entanto, a partir desse ano, o número aumentou a 54 em cada 100 mil, acrescentou. Já entre a incidência da doença, de 29 em cada 100 mil, se manteve entre os homens, acrescentou. Os pesquisadores afirmaram que não estão claras as razões do aumento, mas sugerem que é possível que tenha uma origem ambiental. Do estudo participaram 350 pessoas de uma idade média de 56,5 anos. A maioria, 69%, era mulheres.

EFE ojl/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.