A polícia de Portugal pediu que os pais de Madeleine McCann voltem ao país para participar de uma reconstituição da noite em que a menina britânica desapareceu do apartamento onde a família passava as férias. Os advogados do casal estão analisando o pedido de reconstituição.

O porta-voz do casal McCann, Clarence Mitchell, afirmou que o casal não voltará a Portugal se continuarem a serem considerados como suspeitos formais.

"Qualquer pedido feito pela polícia portuguesa por meio dos advogados de Kate e Gerry (McCann) são cobertos pelo segredo judicial de Portugal e, por isso, não posso discutir detalhes destas propostas", afirmou.

O porta-voz afirma que o casal aprova uma reconstituição "que seja transmitida para milhões de pessoas e que pudesse gerar novas pistas e informações".

"Não é verdade que Kate e Gerry tenham sido chamados ou intimados de volta (a Portugal). Os advogados do casal continuam as conversas com a polícia portuguesa e, se qualquer decisão for tomada, um anúncio será feito no momento apropriado", acrescentou.

Madeleine, da cidade de Rothley, no condado de Leicestershire, desapareceu no dia 3 de maio do ano passado de um apartamento no Algarve, em Portugal, onde passava férias, poucos dias antes de seu quarto aniversário.

Os pais, que negam qualquer envolvimento no desaparecimento da filha, foram formalmente declarados suspeitos pela polícia portuguesa.

Na Grã-Bretanha
Policiais portugueses que investigam o caso do desaparecimento de Madeleine viajaram para a Grã-Bretanha para estar presentes durante a nova rodada de interrogatórios com os sete amigos dos pais da menina que estava com o casal na noite em que ela desapareceu.

A polícia britânica iniciou a nova rodada de interrogatórios nesta terça-feira. Os policiais portugueses não interrogarão diretamente as testemunhas. E os pais de Madeleine também não serão interrogados.

A polícia portuguesa, chefiada por Paulo Rebelo, detetive de Lisboa que assumiu o caso em outubro, vai assistir aos interrogatórios.

Os policiais submeteram suas perguntas de antemão ao Ministério do Interior britânico para que elas sejam colocadas às testemunhas pela polícia de Leicestershire.

Há relatos de que a primeira interrogada será Jane Tanner, de 37 anos.

Tanner disse aos policiais que na noite do desaparecimento de Madeleine viu um homem carregando uma criança nas imediações do apartamento onde a família estava hospedada.

Os interrogatórios deverão ser concluídos até o final da semana.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.