Santomera (Espanha), 15 abr (EFE).- O assassinato e decapitação de Teresa Macanás, de 56 anos, por seu filho, Angelo Coratenuto Macanás, de 35, provocaram uma profunda comoção em Santomera, na província de Múrcia, na Espanha.

Angelo foi preso depois que a Polícia local foi alertada segunda-feira à noite por um morador, que disse que um homem passeava na rua com a cabeça de sua mãe envolvida em um pano e com as mãos ensangüentadas.

Um representante da Prefeitura de Santomera disse hoje à Agência Efe que "o povo está comovido com esta notícia, que supera o imaginável", tanto pela maneira como aconteceu quanto pelo fato de que a vítima era uma pessoa "muito conhecida e querida" por seus vizinhos.

Após o assassinato, Angelo abandonou o local onde cometeu o crime - um bar - pela porta dos fundos e com a cabeça de sua mãe envolvida em um pano. Ele teria dado várias voltas em uma das principais praças de Santomera, onde foi visto pelo vizinho que fez o alerta.

Uma patrulha da Polícia foi até o local, e os agentes encontraram o homem com um volume suspeito envolvido em um pano, o qual assegurava ser a cabeça de sua mãe, enquanto gritava: "Matei-a.

Agora está calada, gosto muito mais dela agora".

Angelo já tinha agredido anteriormente sua mãe, confirmou hoje um delegado de Múrcia, explicando que o homem foi detido em quatro ocasiões por maus tratos à Teresa Macanás, e que havia passado por um tratamento psiquiátrico.

Segundo a emissora pública "Radio Nacional de España", a mulher tinha denunciado durante um programa local de TV, em 2001, que poderia ser atacada por seu filho. EFE nac/mac/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.