Casaquistão decreta estado de emergência após confrontos

Choques entre policiais e grevistas deixaram ao menos 11 pessoas mortas

AFP |

rO presidente do Casaquistão, Nursultán Nazarbayev, decretou neste sábado o estado de emergência na região de Zhanaozen, no mar Cáspio, depois de confrontos entre trabalhadores desempregados e policiais que deixaram um saldo de ao menos 11 pessoas mortas .

O estado de emergência ficará em vigor até 5 de janeiro para "garantir a segurança pública, reconstruir a lei e a ordem, e defender os direitos e as liberdades dos cidadãos", de acordo com o decreto publicado no site da presidência da república.

Nazarbayev chamou os grevistas de "um grupo de hooligans" por terem atacado residentes reunidos perto de um palco montado na praça da cidade de Zhanaozen, para as comemorações pelo dia da independência.

Choques entre policiais e grevistas deixam mortos no Casaquistão

"Atingiram os cidadãos pacíficos, depredaram automóveis e atearam fogo neles. Não se pode misturar as disputas de trabalhadores petroleiros com ações de hooligans que querem utilizar a situação para seus próprios fins", disse o presidente.

A explosão de violência ocorreu quando trabalhadores desempregados invadiram a praça preparada para os festejos da independência, romperam todo o sistema de amplificação de som e incendiaram uma enorme árvore de Natal que havia sido instalada no local.

Rapidamente os distúrbios se ampliaram, e os grevistas incendiaram um edifício da administração pública, um hotel e os gabinetes de Uzenmunaigas, a subsidiária local da empresa petroleira Kazmunaigaz.

"Descobriremos como isto foi financiado, e quem está organizando tudo", disse o presidente, que anunciou a formação de uma comissão investigadora.

    Leia tudo sobre: casaquistãogreveviolência

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG