Casal que sequestrou americana por 18 anos enfrenta 20 acusações

Los Angeles (EUA.), 28 ago (EFE).

EFE |

- As duas pessoas acusadas de sequestrar e manter sob cativeiro desde 1991 uma jovem que foi localizada nesta quarta-feira enfrentarão mais de 20 acusações cada uma, informou hoje o escritório do promotor do condado de El Dorado, ao norte da Califórnia, nos Estados Unidos.

Phillip Garrido, de 58 anos, e sua esposa Nancy, de 54, serão acusados de sequestro com tentativa de estupro e agressões sexuais.

Garrido enfrentará acusações adicionais devido a seu passado criminoso, que inclui penas por estupro e sequestro.

Os dois suspeitos, detidos e que precisam pagar fiança de US$ 1 milhão por suposto envolvimento com o caso, comparecerão hoje à 13h (17h de Brasília) na Corte Superior de El Dorado.

A vítima do caso é Jaycee Lee Dugard, que tinha 11 anos quando foi sequestrada na rua, ao sul de South Lake Tahoe e diante dos olhos de seu padrasto.

A jovem permaneceu em paradeiro desconhecido desde 10 de junho de 1991 até que se apresentou em uma delegacia para se identificar e denunciar os fatos, depois que a Polícia encontrou Dugard enquanto faziam outra investigação.

Dugard teve duas filhas com um de seus supostos sequestradores, segundo informou o departamento do xerife de El Dorado.

Os agentes comunicaram que durante esse tempo a vítima, agora de 29 anos, deu à luz dois bebês, cuja paternidade supostamente corresponderia a algum de seus sequestradores.

São duas meninas de 11 e 15 anos que, segundo os primeiros testemunhos, nunca foram alfabetizadas.

"Nenhuma delas foi à escola nem visitou um médico", explicou Fred Kollar, do escritório do xerife de El Dorado.

"Todos estiveram totalmente isolados", acrescentou.

Em uma vista na casa dos detidos os agentes encontraram uma área oculta na parte posterior do jardim com tendas de campanha e algumas edificações onde, aparentemente, a vítima e as filhas passavam a maior parte do tempo.

"Era possível caminhar pelo jardim sem saber que havia outro habitáculo onde se pudesse viver. Não havia nada que fosse suspeito", disse Kollar.

Dugard viveu durante vários anos fechada nesse local e teve e criou ali duas meninas.

O próprio Garrido já mostrou suas primeiras impressões a partir da prisão e, em entrevista ao canal "KCRA", de Sacramento, afirmou estar "aliviado" com sua detenção.

"Sinto-me muito melhor agora", ressaltou. "Isto é um processo que precisava acontecer", disse o suspeito, que afirmou que as pessoas ficarão impressionadas quando conhecerem a história ao redor do fato.

"Esperem para escutar o que ocorreu na casa. É algo repugnante que ocorreu comigo a princípio, mas mudei minha vida totalmente", disse.

O pai de Phillip Garrido declarou ao jornal "Los Angeles Times" que seu filho tem um longo histórico de problemas com as drogas de perturbações mentais. EFE mg/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG