Casal líder do Sendero pede direito de se visitar na prisão

LIMA (Reuters) - Os dirigentes máximos da guerrilha peruana Sendero Luminoso, Abimael Guzmán e Elena Iparraguirre, que há 20 anos formam um casal e estão presos em penitenciárias diferentes, pediram nesta terça-feira o direito de se visitarem, o que exigiria fortes medidas de segurança. Guzmán e Iparraguirre comandaram a sangrenta luta do grupo maoísta, em que morreram ou desapareceram 69 mil pessoas no Peru, segundo dados oficiais.

Reuters |

Uma fonte do Instituto Nacional Penitenciário (Inpe) disse à Reuters que o pedido, feito por Iparraguirre, implicaria a mobilização de um "enorme" contingente de agentes, inclusive com o uso de helicópteros. O deslocamento da militante levaria uma hora de carro.

Ela já havia pedido autorização para visitar seu companheiro em 2006, mas o Inpe negou o pedido há poucos meses, alegando que os dois são casados com outras pessoas.

Iparraguirre entrou para a luta armada na década de 1980, e continua formalmente casada com Javier Verástegui, com quem teve dois filhos.

(Reportagem de Patricia Vélez)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG