Casal de mineradores morre durante manifestação por detonação de dinamite

La Paz, 4 abr (EFE).- Um casal de mineradores morreu hoje na cidade boliviana de Oruro pela detonação de uma carga de dinamite em uma manifestação, informaram meios de imprensa locais com versões contraditórias sobre as circunstâncias do fato.

EFE |

Segundo a rede de televisão "UNO" e a rádio "Erbol", o homem levava a dinamite e ameaçou explodi-la, mas sua esposa tentou detê-lo, o que fez a carga explodir e matar os dois.

A rádio estatal "Pátria Nova" disse, por sua vez, que se tratou de "um acidente lamentável".

Fontes policiais disseram à Agência Efe que as primeiras versões apontam que o evento pode ter sido ocasionado por uma briga de casal cuja resistência provocou a explosão, embora tenham anunciado que divulgarão nas próximas horas um relatório mais completo a respeito.

A imprensa identificou o casal como Benito Alipez e sua esposa como María de Alipez, ambos trabalhadores de cooperativas mineradoras e cujos restos ficaram espalhados nos edifícios da praça de Oruro em conseqüência da detonação.

Segundo os companheiros do casal, que deixou nove filhos, eles passavam por dificuldades econômicas.

Os mineiros se manifestaram na praça principal para aproveitar a presença em Oruro do ministro de Mineração, Luis Alberto Echazú, e seus vice-ministros que viajaram à cidade para tentar resolver outros conflitos vinculados também com o setor das cooperativas.

Uma fonte do Ministério de Mineração disse à Efe que os mineradores que protestaram hoje em Oruro são ex-trabalhadores de cooperativas que exploravam a mina de estanho Huanuni, nacionalizada em 2006 pelo Governo de Evo Morales, e que pedem novas fontes de trabalho. EFE ja-mb/fb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG