Casal de jovens mata sete familiares por ter romance proibido na Índia

Uma jovem de 19 anos e seu namorado de 20 anos foram presos na Índia após admitirem ter sedado e estrangulado sete pessoas da família dela, que era contra o romance.

BBC Brasil |

Sonam e o namorado, Naveen, são estudantes e queriam se casar, mas as famílias se opunham porque eles pertenciam ao mesmo clã ou sub-casta.

Entre as vítimas estão os pais de Sonam, sua avó, seu irmão e três primas menores de 5 anos.

Segundo o jornal indiano em inglês The Telegraph, a jovem parecia "fria" ao admitir o que chamou de "erro" diante de repórteres.

Fuga

A polícia do vilarejo de Rohtak, na província de Haryana, disse que Sonam confessou ter misturado sedativos com a farinha que usou para preparar chapattis, um pãozinho típico indiano, para o jantar.

"Depois que os familiares ficaram inconscientes, ela ligou para Naveen e os dois estrangularam todas as sete pessoas", afirmou o superintendente Anil Kumar Rao ao jornal The Hindu.

Sonam também teria tomado sedativos após o crime, em uma tentativa de incriminar outro irmão, que não estava na casa. Mas a polícia começou a suspeitar dela quando seus depoimentos se mostraram contraditórios.

Segundo o superintendente, a jovem acabou por admitir que odiava a família por ter se oposto ao namoro.

"Os dois tinham medo de apanhar ou até serem mortos por ignorar o sistema de castas e suas regras, então decidiram matar a família antes de fugirem para se casar", disse Rao.

O casamento entre pessoas da mesma sub-casta é considerado pecado.

Leia mais sobre Índia

    Leia tudo sobre: índia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG