Casal de falcões migradores escolhe torre mais alta de Varsóvia como moradia

Um casal de falcões migradores se acomodou na mais alta torre de Varsóvia, o Palácio da Cultura de 230 metros, oferecido à Polônia por Joseph Stalin nos anos 1950, anunciou nesta quinta-feira a administração do edifício.

AFP |

A direção do Palácio instalou nesta quinta-feira uma webcam próximo ao ninho, situado em um pequeno espaço no 45º andar, a cerca de 200 metros de altura.

"É o ninho mais alto da Polônia e, sem dúvida, da Europa", declarou à imprensa Janusz Sielicki, da associação "Sokol" (Falcão, em polonês) que trabalha pela reintrodução dessas aves que tinham desaparecido completamente da Polônia nos anos 1960.

"Os grandes prédios das cidades são para os falcões montanhas artificiais. No ambiente natural, eles vivem em rochedos ou nas árvores", explicou Sielicki.

O mesmo casal de falcões já havia escolhido este local há dez anos. Mas, infelizmente, os filhotes não nasceram.

"Graças à câmera, os internautas do mundo inteiro poderão ver o que se passa no ninho dia e noite. Neste momento, os pássaros chocam os ovos, que são três. Eles deverão eclodir em cerca de 30 dias", disse Sielicki.

Para aqueles que quiserem acompanhar o dia-a-dia do casal de falcões, o endereço do site é www.webcam.peregrinus.pl/pkin-warszawa.htm.

mc/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG