Casa Branca responde a Cheney e o acusa de espalhar falsidades

Washington, 30 dez (EFE).- A Casa Branca respondeu hoje às críticas feitas pelo ex-vice-presidente americano Dick Cheney sobre a luta antiterrorista e o acusou de propagar falsidades.

EFE |

Em suas primeiras declarações públicas desde a tentativa de atentado contra o voo 253 da Northwest no dia de Natal, Cheney criticou a política de segurança nacional do Governo americano, e em particular sua "frágil" resposta ao ocorrido.

Segundo Cheney, o presidente americano, Barack Obama, "tenta fingir que não estamos em guerra" contra o terrorismo porque isso "não se encaixa na visão de mundo que ele levou para o Salão Oval".

Hoje, o diretor de comunicações da Casa Branca, Dan Pfeiffer, respondeu às críticas de Cheney, que nos últimos meses atacou a política de segurança nacional e reafirmou que, sob o Governo de Obama, os EUA estão "menos seguros".

"Acho que todos estamos de acordo em que deve haver um debate honesto sobre estes assuntos, mas é revelador que o vice-presidente Cheney e outros pareçam mais dedicados a criticar a Administração do que em condenar" os terroristas, disse Pfeiffer em um blog da Casa Branca.

"Infelizmente, há muitos que estão envolvidos no jogo típico de Washington de apontar com o dedo em vez de trabalhar junto para encontrar soluções para que nosso país esteja mais seguro", acrescentou.

Pfeiffer assegurou que "não interessa" a Obama "a retórica beligerante, mas a ação", porque sete anos desse tipo de retórica "não conseguiram reduzir a ameaça da Al Qaeda, mas conseguiram dividir o país".

O diretor de comunicações refutou a acusação "falsa" de Cheney de que Obama não quer reconhecer a luta antiterrorista e afirmou que o presidente afirmou em diversas declarações que os EUA lutam contra a rede terrorista Al Qaeda e outros grupos extremistas.

Membros do Partido Republicano criticaram a resposta do Governo americano à tentativa de atentado e alguns inclusive pediram a saída da secretária de Segurança Nacional, Janet Napolitano, do cargo. EFE mp/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG