Casa Branca nega que Clinton enviou mensagem de Obama a Pyongyang

Washington, 4 ago (EFE).- A Casa Branca negou hoje que o ex-presidente americano Bill Clinton, em visita a Pyongyang para tramitar a libertação de duas jornalistas americanas, tenha transmitido uma mensagem ao líder norte-coreano, Kim Jong-il.

EFE |

"Isso não é verdade", disse o porta-voz da Casa Branca, negando, assim, a informação publicada hoje pela imprensa oficial norte-coreana, que indicou que Bill Clinton transmitiu uma "mensagem verbal" do presidente dos EUA, Barack Obama, ao líder norte-coreano.

O ex-líder se reuniu com Kim ao chegar hoje a Pyongyang, em uma viagem não anunciada previamente que tem como objetivo conseguir a libertação de duas jornalistas americanas detidas na Coreia do Norte desde março.

A Casa Branca trata a viagem surpresa de Bill Clinton à Coreia do Norte com muito cuidado, por ser um assunto delicado, e justifica seu silêncio pelo fato de que não quer "colocar em perigo o sucesso da missão do ex-presidente".

Para o Governo dos EUA, as gestões diplomáticas que forem feitas pelo ex-presidente são dentro de uma missão "exclusivamente privada" e, por enquanto, não quer dar mais detalhes a respeito.

A viagem de Bill Clinton ocorre depois que, em 10 de julho, sua esposa e secretária de Estado americana, Hillary Clinton, pediu a Pyongyang, em discurso pronunciado perante funcionários civis e pessoal diplomático no Departamento de Estado, que conceda a anistia às duas jornalistas.

As repórteres americanas Laura Ling e Euna Lee, que trabalham para a "Current TV", de San Francisco (EUA), foram detidas em 17 de março na fronteira da Coreia do Norte com a China, enquanto gravavam imagens para um documentário sobre mulheres refugiadas norte-coreanas.

Após um julgamento desenvolvido em Pyongyang, o principal tribunal norte-coreano as condenou em junho a 12 anos de trabalhos forçados por entrada ilegal em seu território.

Bill Clinton é o segundo ex-líder americano que viaja à Coreia do Norte com uma missão de mediação, após a visita realizada em 1994 por Jimmy Carter durante a primeira crise nuclear.

Naquela viagem, Carter se reuniu com o então chefe de Estado e fundador do país comunista, Kim Il-sung, e conseguiu reabrir o diálogo sobre o programa nuclear norte-coreano.

Em 2000, a então secretária de Estado americana, Madeleine Albright, foi a primeira representante de um Governo americano a visitar Pyongyang. EFE cae/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG