Casa Branca diz que juíza não soube escolher palavras em discurso

Washington, 29 mai (EFE).- A juíza Sonia Sotomayor, proposta pelo presidente Barack Obama para a Suprema Corte dos Estados Unidos, se equivocou na escolha de suas palavras no discurso em que defendeu sua condição de latina, admitiu hoje a Casa Branca.

EFE |

Em sua entrevista coletiva diária, o porta-voz da Casa Branca Robert Gibbs afirmou que "a escolha de palavras (por parte de Sonia) deixou a desejar" e que, se pudesse, a juíza mudaria o modo como se expressou.

Gibbs enfatizou que não falou diretamente com Sonia, e sim com pessoas com acesso direto à juíza.

O porta-voz fazia alusão a um discurso de 2001 na Universidade californiana de Berkeley no qual a magistrada falava sobre sua identidade étnica, seu trabalho como juíza e a relação existente entre essas duas condições.

"Nosso gênero e origens nacionais podem e de fato exercem diferenças em nossa forma de julgar", disse na época Sonia, em discurso intitulado "A voz de uma juíza latina".

Sonia disse não estar de acordo com a ideia da magistrada Sandra O'Connor de que "um homem e uma mulher idosos e sábios chegarão à mesma conclusão em um caso." "O que eu esperaria é que uma mulher latina sábia com a riqueza de suas experiências obtenha geralmente conclusões melhores que um homem branco que não tenha vivido essa vida", concluiu na ocasião.

Grupos conservadores arremeteram contra as palavras da juíza, ao afirmarem que denotam racismo.

A Casa Branca lançou uma intensa campanha para apoiar a juíza em seu processo de confirmação no Senado americano.

Caso seja ratificada, Sonia substituirá na Corte Suprema, formada por nove membros vitalícios, David Souter, de 69 anos, que anunciou que deixará o cargo no final de junho. EFE mv/fr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG