A Al-Qaeda está tentando desviar a atenção do mundo muçulmano do discurso histórico que deve pronunciar quinta-feira no Cairo o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou nesta quarta-feira a Casa Branca, em reação à última gravação do líder da rede terrorista, Osama bin Laden.

O governo americano ainda não teve tempo de examinar a nova mensagem de Bin Laden, divulgada mais cedo nesta quarta-feira pela rede de TV Al-Jazeera, do Qatar, declarou o porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs, em Riad, onde Obama está em visita oficial.

Ele frisou, porém, que esta nova gravação não parece muito diferente das ameaças proferidas no passado pela Al-Qaeda contra os Estados Unidos e outros países.

"Não é surpreendente que a Al-Qaeda busque desviar a atenção do esforço histórico empreendido pelo presidente Obama para iniciar um diálogo aberto com o mundo muçulmano", acrescentou o porta-voz.

Na gravação, Bin Laden acusou Obama de seguir "a mesma política de hostilidade" em relação aos muçulmanos que seu predecessor, George W. Bush, e de suscitar "mais ódio" contra a América.

A mensagem do número um da Al-Qaeda foi divulgada na véspera de um grande discurso de reconciliação com o mundo muçulmano que Obama deve pronunciar quinta-feira no Cairo.

col/yw

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.