Casa Branca cria equipe especial para interrogar terroristas

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, aprovou a criação de uma equipe especial de interrogadores que interrogará suspeitos de atividades terroristas, afirmou nesta segunda-feira o jornal The Washington Post.

EFE |

O jornal cita como fontes altos funcionários do Governo não identificados, que afirmam que essa medida "é parte de um esforço mais amplo para reestruturar a política dos Estados Unidos sobre detenções e interrogatórios".

O escritório de ética do Departamento de Justiça recomendou que o procurador-geral Eric Holder inicie investigações sobre a conduta da CIA (agência de inteligência americana) devido denúncias de torturas em suspeitos por atividades terroristas.

A recomendação contradiz a decisão anterior do Governo de George W. Bush de não processar cerca de 20 casos relacionados ao tema.

Espera-se que o Departamento de Justiça divulgue nesta segunda, pelo menos em parte, um relatório elaborado em 2004 pela Inspeção Geral da CIA sobre os supostos abusos em supostos membros da rede terrorista Al Qaeda durante interrogatórios efetuados pela agência.

Segundo o jornal, Obama assinou na semana passada a criação do chamado "Grupo de Interrogatório de Detidos de Alto Valor" (HIG, sigla em inglês).

"Formado com especialistas de várias agências de inteligência e policiais, a unidade de interrogatórios terá sua sede no FBI (polícia federal americana), mas será supervisada pelo Conselho Nacional de Segurança, que tira a liderança da CIA e dá controle direto à Casa Branca", acrescentou o diário.

Sob as novas instruções, os membros desta equipe especial deverão manter-se dentro dos parâmetros do Manual de Campo do Exército no que se refere ao interrogatório de suspeitos.

O jornal explica, além disso, que também foi designada uma equipe para estudar a situação dos prisioneiros detidos pelos EUA em sua base naval de Guantânamo, Cuba, assim como a duração e localização futura dos supostos terroristas, que ainda não concluíram suas penas.

Leia mais sobre: CIA

    Leia tudo sobre: ciadireitos humanostortura

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG