O assassinato do chefe interino da Polícia Federal Preventiva mexicana (PFP), Edgar Millán Gómez, uma das autoridades máximas de combate ao crime no país, mostra que é urgente que os Estados Unidos ajudem seu vizinho do sul com fundos para a luta antidrogas, expressou nesta sexta-feira um porta-voz da Casa Branca.

"Ontem (quinta-feira) ficamos sabendo que uma das principais autoridades da luta contra o crime no México foi assassinada por um dos cartéis da droga" que atuam no país, disse o porta-voz Gordon Johndroe a jornalistas em Crawford, Texas (sul), onde está o presidente George W. Bush.

"Este ataque calculado contra uma das máximas autoridades responsáveis por fazer cumprir a lei deixa clara a urgência de que os Estados Unidos ajudem seu vizinho do sul, também para proteger os americanos em casa", continuou.

"A morte de Gómez é uma trágica perda para o povo mexicano", disse Johndroe.

"O presidente Bush pede ao Congresso que aja agora para dar todos os fundos à Iniciativa Mérida", acrescentou.

Bush já havia formulado pedido semelhante ao Congresso na quarta-feira, durante uma coletiva de imprensa no departamento de Estado.

Millán Gómez foi assassinado a tiros numa emboscada na madrugada de quinta-feira quando chegava em casa, um crime que as primeiras investigações relacionam a uma vingança pela prisão, no dia 30 de abril, de 13 membros do cartel de Sinaloa.

mr-lal/ap

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.