Casa Branca acusa grupo conservador de incitar oposição à reforma na saúde

Washington, 4 ago (EFE).- A Casa Branca acusou hoje um grupo conservador de fabricar e estimular a oposição em relação à reforma do sistema nacional de saúde, atualmente em estudo no Congresso dos Estados Unidos.

EFE |

Durante uma entrevista coletiva, o porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs, não descartou a possibilidade de que a ira contra o plano de saúde identificada por alguns líderes do Congresso em reuniões comunitárias seja "fabricada".

Gibbs deu como exemplo o caso do presidente de um grupo que se opõe à reforma, cujo nome não quis revelar, e que é "um executivo que dirigia uma companhia do ramo médico a qual recebeu uma multa de US$ 1,7 bilhão do Governo federal por fraude".

"Acho que isso diz muito do que é preciso saber sobre as motivações desse grupo", observou o porta-voz.

Outros grupos conservadores mantêm uma campanha propagandista contra a reforma, afirmando que este permitirá que o Governo americano tenha grande ingerência nos planos de saúde do país.

Cerca de 50 milhões de americanos não possuem cobertura médica, apesar de os EUA gastarem mais em saúde do que qualquer outro país.

O presidente americano, Barack Obama, se dedicou nas últimas semanas a "vender" a ideia do plano de reforma.

Na semana passada, durante uma reunião comunitária na Carolina do Norte, o governante disse que estará "disponível para responder a qualquer pergunta dos líderes do Congresso" sobre o tema. EFE mp/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG