Cartaz de filme com atriz fumando é proibido na França

Os cartazes de um filme sobre a vida da estilista Coco Chanel, lançado na quarta-feira na França, que mostram a atriz principal, Audrey Tautou, fumando, foram proibidos nos metrôs e ônibus de Paris. Segundo a empresa responsável pelos anúncios do filme Coco avant Chanel(Coco antes de Chanel, na tradução literal) exibidos nos meios de transporte da capital, a imagem desrespeita a lei que proíbe a publicidade de cigarros no país.

BBC Brasil |

Mas a proibição provocou críticas até do autor da própria lei, o ex-ministro francês da Saúde, Claude Evin. Ele afirmou que a medida do metrô de Paris é "ridícula, contraproducente e abusiva".

O cartaz principal, que mostra a atriz usando um pijama e fumando um cigarro, pode ser visto, no entanto, em todas as ruas de Paris.

Dos 5,8 mil cartazes do filme, exibidos em toda a França, 1,1 mil destinados aos metrôs e ônibus de Paris tiveram de ser substituídos.

"Tivemos de usar nos metrôs e ônibus parisienses dois cartazes complementares, nos quais Audrey Tautou aparece ao lado de personagens masculinos", diz Olivier Snanoudj, diretor da Warner Bros França, que produziu e distribui o filme da cineasta Anne Fontaine.

Cata-vento amarelo
Esta é a segunda proibição recente nos transportes parisienses de cartazes de eventos culturais que mostram pessoas fumando.

No início de abril, o metrô de Paris já havia proibido o cartaz de uma exposição sobre o ator e cineasta Jacques Tati, falecido em 1982, que o mostrava em um de seus filmes fumando um cachimbo.

Neste caso, o cartaz foi alterado. O cachimbo foi apagado e substituído por um cata-vento amarelo, que foi colocado sobre a boca de Tati.

O presidente da Cinemateca francesa, o cineasta Costa-Gravas, disse que a decisão era "absurda" e afirmou ter aceitado a mudança na fotografia por não dispor de mais tempo para elaborar novos cartazes.

As proibições de pôsteres de eventos culturais que mostram personagens famosos fumando vêm causando polêmica na França e suscitando inúmeras críticas na imprensa do país.

A atual ministra da Saúde, Roselyne Bachelot, também se opôs à decisão tomada pelo metrô de Paris e declarou que a iniciativa "beira o absurdo".

"A lei aprovada por minha iniciativa tem como objetivo proibir a publicidade direta ou indireta de cigarros. Mas a situação não é essa no caso dos cartazes dos filmes. Trata-se de um patrimônio cultural que se insere em nossa cultura cinematográfica", diz Evin.

Tati aparece quase sempre de cachimbo em comédias tidas como clássicos do cinema como Meu Tioe As Férias do Sr. Hulot.

No caso da estilista Chanel, o cigarro também é algo que na sua época foi ligado à sua personalidade de mulher moderna e revolucionária, já que no início do século passado as mulheres normalmente não fumavam em público.

O filme Coco avant Chanelretrata a vida da estilista antes dela se tornar famosa e conta sua infância em um orfanato até o início de sua carreira.

O longa-metragem foi inspirado no livro L'Irrégulière(A Irregular, em tradução literal), de Edmonde Charles-Roux, autora de A Era Chanel, publicado no Brasil, e custou 19,4 milhões de euros.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG