Carta enviada a McCain não era perigosa, assegura serviço secreto dos EUA

A carta com ameaças enviada ao comitê de campanha do candidato republicano John McCain na cidade de Denver (estado do Colorado) continha um pó, mas ele não se revelou perigoso, asseguraram nesta sexta-feira fontes dos serviços secretos.

AFP |

A carta, que causou pânico entre os membros do comitê, que foram internados para observação, foi enviada por um detento de um presídio próximo, segundo as fontes.

O autor da carta foi identificado como Harold Ramsey, um preso de 39 anos, que foi condenado por desacato e agressão a um policial.

"Ele é conhecido como prolífico autor de cartas", informou o porta-voz do serviço secreto, Ed Donovan.

ksh/rs/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG