Cidade do Vaticano, 20 mar (EFE).- O conteúdo lúcido e severo da carta do papa Bento XVI aos irlandeses é totalmente coerente com o trabalho realizado durante 30 anos pelo cardeal Ratzinger, afirmou hoje o diário vaticano LOsservatore Romano comentando o documento papal sobre os casos de padres pedófilos.

Segundo o jornal, esse trabalho de três décadas se resume na exclamação que fez na Sexta-Feira Santa de 2005, poucos dias antes da morte de João Paulo II: "Quanta imundície há na Igreja, sobretudo entre aqueles que no sacerdócio deveriam pertencer totalmente a Cristo".

"E isso é coerente com o papa", acrescenta o periódico no editorial de seu diretor, Giovanni Maria Vian. Segundo ele, desde o primeiro momento, Bento XVI pediu aos prelados irlandeses que dirão a verdade sobre os fatos e adotarão todas as medidas para evitar casos similares no futuro.

O papa sempre buscou que os princípios de justiça fossem "plenamente respeitados" e "sobretudo" que as vítimas e todos os afetados "fossem curados desses crimes anômalos", acrescentou o jornal.

Além disso, o periódico ressalta que o papa escreveu aos irlandeses uma carta "com valor sem precedentes" diante da situação "grave e vergonhosa" que atravessa a Igreja irlandesa.

Vian ressalta em seu editorial a "amargura e a severidade" do texto de Bento XVI e afirma que foi escrito "não para esconder o mal realizado (pelos sacerdotes pedófilos) perante Deus e os homens, mas sobretudo para olhar para frente". EFE JL/sa

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.