Carros-bomba deixam mais de 30 mortos em Bagdá

BAGDÁ - Pelo menos 32 pessonas morreram e 130 ficaram feridas nesta segunda-feira em uma série de atentados com carros-bomba em vários mercados de Bagdá, no mesmo dia do desembarque no Iraque do ministro do Comércio britânico, Peter Mandelson.

Redação com AFP |

Quatro carros-bomba foram ativados em bairros de maioria xiita entre a 7h e 9h, período de muito tráfego. Mais tarde explodiram outros dois, em um mercado de Um Al-Maalif, zona oeste de Bagdá, que deixaram 12 mortos e 23 feridos.

AP
Série de atentados deixa mais de 30 mortos no Iraque
Série de atentados deixa mais de 30 mortos no Iraque

A primeira explosão aconteceu em um grande mercado do bairro de Allaui, centro da capital. Quatro pessoas morreram e 15 ficaram feridas, a maioria jornaleiros que procuravam emprego.

O segundo atentado teve como alvo o comboio de um alto funcionário do ministério do Interior na zona sudeste de Bagdá. Um civil e um policial morreram na explosão, que também deixou seis oficiais feridos. O funcionário, um general-de-brigada identificado apenas como Sadun, escapou ileso.

Na zona nordeste da capital, em Sadry City, grande bairro xiita, a explosão de um carro-bomba em um mercado matou 10 pessoas e feriu outras 65.

Em Husseiniye, na mesma área de Bagdá, outro carro-bomba em um mercado matou quatro pessoas e deixou 20 feridas.

Os ataques desta segunda-feira aconteceram no momento em que Mandelson encabeça a primeira viagem de uma delegação oficial britânica ao Iraque em mais de 20 anos.

O ministro do Comércio, à frente de uma delegação integrada por empresários, vistará Bagdá e Basra.

As autoridades iraquianas ainda não conseguiram esclarecer se todos os ataques desta segunda-feira na capital foram coordenados.

Redução da violência no país

Os últimos meses registraram uma redução da violência nos últimos meses no Iraque, mas, apesar, da quantidade menor de ataque, os atentados permanecem uma rotina na vida dos iraquianos, especialmente na capital Bagdá.

A violência no Iraque no mês de março matou 252 civis, militares e policiais, um número estável em relação a fevereiro, segundo os ministérios da Defesa, Interior e Saúde.

No total, 252 iraquianos morreram e 647 ficaram feridos em atentados e ataques em março, contra 258 em fevereiro, confirmando a alta dos últimos meses, depois dos 191 mortos de janeiro, mês com o menor nível de violência desde a invasão americana em 2003.

A violência matou 185 civis e deixou 445 feridos. No mês, 14 militares iraquianos morreram e 45 foram feridos. A polícia iraquiana também foi afetada, com 53 oficiais mortos e 157 feridos. Além disso, 45 insurgentes morreram e 650 foram feridos.

A redução da violência foi alcançada após a mudança da estratégia para combater a guerrilha por parte do Exército americano e o fortalecimento das forças iraquianas.

Leia mais sobre: Iraque

    Leia tudo sobre: iraque

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG