Por Michelle Nichols

NOVA YORK (Reuters) - Um carro-bomba desativado na Times Square, em Nova York, foi um potencial ataque terrorista, disse neste domingo a secretária da Segurança Interna nacional, Janet Napolitano, enquanto autoridades ainda não identificaram os possíveis responsáveis.

" /

Por Michelle Nichols

NOVA YORK (Reuters) - Um carro-bomba desativado na Times Square, em Nova York, foi um potencial ataque terrorista, disse neste domingo a secretária da Segurança Interna nacional, Janet Napolitano, enquanto autoridades ainda não identificaram os possíveis responsáveis.

" /

Carro-bomba desativado em NY é visto como potencial atentado

Por Michelle Nichols

NOVA YORK (Reuters) - Um carro-bomba desativado na Times Square, em Nova York, foi um potencial ataque terrorista, disse neste domingo a secretária da Segurança Interna nacional, Janet Napolitano, enquanto autoridades ainda não identificaram os possíveis responsáveis.

Reuters |

Por Michelle Nichols

NOVA YORK (Reuters) - Um carro-bomba desativado na Times Square, em Nova York, foi um potencial ataque terrorista, disse neste domingo a secretária da Segurança Interna nacional, Janet Napolitano, enquanto autoridades ainda não identificaram os possíveis responsáveis.

Alertados por um vendedor de rua, policiais encontraram a bomba, rudimentar mas potente, em um veículo utilitário esportivo no momento em que a área de lazer e compras de Midtown Manhattan estava lotada de turistas e pessoas que iam ao teatro, numa noite amena de sábado.

"Estamos levando isto muito a sério", disse Napolitano ao programa "State of the Union", da rede CNN. "Estamos tratando como um potencial ataque terrorista."

Napolitano e outras autoridades não disseram se os suspeitos podem ser norte-americanos ou estrangeiros. Não foi divulgada nenhuma reivindicação de responsabilidade pelo carro-bomba, e a polícia disse que não foi identificado nenhum motivo ou suspeito.

As autoridades disseram que a bomba -- feita de propano, gasolina e fogos de artifício -- poderia ter matado muitas pessoas. A Times Square foi esvaziada na noite de sábado e em grande medida reaberta a veículos e pedestres pouco no início da manhã deste domingo.

"Isto não foi faz-de-conta. Não foi um alarme falso. Foi a coisa real, com a intenção de machucar pessoas", disse o comissário dos bombeiros Sal Cassano, acrescentando que a força da bomba poderia ter demolido a fachada de um edifício.

Nova York está em alerta de alto nível desde os ataques de 11 de setembro de 2001, quando aviões comerciais sequestrados por militantes da Al Qaeda derrubaram as torres gêmeas do World Trade Center, matando mais de 2.600 pessoas.

O pior ataque doméstico dos Estados Unidos matou 168 pessoas em 1995, quando um caminhão-bomba plantado por Timothy McVeigh e outros extremistas de direita explodiu em um edifício federal em Oklahoma City.

NENHUMA IDEIA SOBRE RESPONSÁVEIS

O analista de segurança Ben Venzke descreveu a bomba em Times Square como um "evento terrorista significativo" e disse que militantes islâmicos vêm promovendo o valor da utilização de recipientes de propano em ataques, mas avisou que ainda é cedo para determinar os responsáveis.

"Pode ter sido obra de um grupo jihadista como a Al Qaeda ou, igualmente, de um grupo doméstico ou de um indivíduo sem qualquer ligação com qualquer agenda jihadista", disse Venzke, diretor do IntelCenter, com sede na Virgínia.

Janet Napolitano disse à ABC News que não há evidências de que o incidente na Times Square tenha sido "qualquer coisa senão um fato isolado" e que a bomba "não parece ter sido muito sofisticada."

Falando no programa "This Week", da ABC, ela disse que a polícia estadual e local foi orientada a ficar "em alerta."

A polícia de Nova York disse que revistou pontos de trânsito intenso, pontos de referência da cidade e outros lugares depois de ser encontrada a bomba na Times Square, mas que não encontrou nada suspeito.

"Não temos ideia de quem fez isso ou porque", disse o prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, em coletiva de imprensa no início da manhã.

Bloomberg disse que um vendedor de camisetas observou "um veículo suspeito não ocupado" e alertou um policial a cavalo, que viu que o veículo Nissan Pathfinder verde escuro tinha fumaça saindo de orifícios perto do banco de trás e cheirava a pólvora.

A bomba foi encontrada no fim da tarde de sábado dentro do veículo estacionado na esquina de 45th Street e Broadway com o motor ligado e o pisca-alerta acesso, disseram autoridades. Tinha placas do Connecticut pertencentes a outro veículo.

O esquadrão antibombas retirou e desmontou três tanques de propano, fogos de artifício do tipo vendido ao consumidor, dois recipientes cheios de 19 litros de gasolina, dois relógios, baterias dentro de cada relógio, fios elétricos e outros componentes.

Uma caixa metálica trancada com aparência de caixa de arma de fogo também foi tirada do veículo e levada a um lugar seguro para ser detonada.

O veículo foi tirado da Times Square nesta manhã e está sendo examinado por especialistas forenses.

(Reportagem adicional de Steve Eder, Clare Baldwin, Jonathan Spicer e Deepa Seetharaman, em Nova York; e de Jeremy Pelofsky e Ross Colvin, em Washington)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG