Duas pessoas foram mortas durante a madrugada desta quinta-feira no Daguestão, região do Norte do Cáucaso na Rússia, quando uma explosão atingiu o carro em que estavam, informou a agência de notícias Interfax. Acredita-se que o veículo carregava explosivos.


Segundo a Interfax, a polícia informou que o carro explodiu perto de uma vila no oeste do Daguestão e que uma terceira pessoa estava no hospital em estado grave. "De acordo com informações preliminares, um explosivo transportado no carro foi espontaneamente detonado", disse um porta-voz policial.

Na quarta-feira, suicidas mataram pelo menos 12 pessoas na cidade de Kizlyar, no Daguestão. Dois dias antes, Moscou foi atingida pelo pior ataque em seis anos, quando duas explosões atingiram estações de metrô no centro da cidade, matando 39 pessoas.

Reuters
Doku Umarov no vídeo divulgado nesta quarta-feira

Doku Umarov no vídeo divulgado nesta quarta-feira

Em uma mensagem divulgada pela internet, um líder separatista checheno afirmou que seu grupo está por trás dos atentados no metrô. Doku Umarov, que se autoproclama líder do "Emirado do Cáucaso" - um Estado islâmico separatista que inclui diversas repúblicas russas da região -, afirmou ter ordenado pessoalmente os atentados.

Segundo ele, os ataques seriam uma retaliação contra as mortes de "pobres moradores da Chechênia" por forças de segurança russas em fevereiro.

No vídeo, ele ainda classificou os atentados como "duas operações especiais para eliminar infiéis" e ameaçou, afirmando que estes não serão os últimos ataques empreendidos pelos rebeldes na Rússia.

"Esta não será a última operação, estas operações vão continuar, com a vontade de Deus, em seu território", disse, afirmando que a mensagem foi gravada pouco depois dos atentados.

Com Reuters e BBC

Leia também:

Leia mais sobre Rússia

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.