Carolina do Norte se esforça par zelar por direitos de eleitores

Charlotte (EUA), 3 nov (EFE).- A Carolina do Norte é um dos 23 estados em que funcionários do Departamento de Justiça (DOJ) dos Estados Unidos farão vigília para proteger os direitos dos eleitores e prevenir a fraude nas eleições presidenciais de amanhã.

EFE |

Mais de 800 observadores federais e membros do DOJ em 59 jurisdições do país estarão presentes nos postos eleitorais a fim de assegurar que os eleitores não sejam tratados de maneira distinta por sua condição de minoria, raça, incapacidades e idioma.

Em comunicado, o procurador-geral Michael B. Mukasey disse que é dever do Governo "proteger o direito de todos os cidadãos" de votar em 4 de novembro.

"O Departamento de Justiça fará todo o possível para que as eleições transcorram sem dificuldades e para que o povo americano tenha confiança do processo eleitoral", assegurou Mukasey.

Desde que foi aprovada a lei dos direitos dos eleitores em 1965, o DOJ enviou regularmente observadores para evitar casos de discriminação e intimidação racial e dar assistência aos eleitores que não dominam o inglês.

Além da Carolina do Norte, os observadores federais estarão em alguns condados de Alabama, Arizona, Califórnia, Carolina do Sul, Dakota do Sul, Flórida, Illinois, Indiana, Kansas, Louisiana, Massachusetts, Michigan, Mississipi, Nebraska, Nova York, Nova Jersey, Novo México, Ohio, Pensilvânia, Texas, Virgínia e Washington. EFE av/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG