Carla Bruni participa de passeata por Betancourt em Paris

PARIS - Carla Bruni-Sarkozy, cantora, modelo e atual primeira-dama da França, participou neste domingo de uma passeata em Paris pela libertação da refém franco-colombiana Ingrid Betancourt, seqüestrada pela guerrilha colombiana das Farc há mais de seis anos.

AFP |

Os atos foram convocados pela Federação de Comitês Ingrid Betancourt (FICIB) e pela Federação Internacional de Ligas dos Direitos Humanos (FIDH) e milhares de pessoas compareceram à manifestação.


Carla Bruni-Sarkozy participou da passeata na manhã deste domingo / AFP

Além de Carla Bruni, a presidente argentina, Cristina Fernández de Kirchner, e o chanceler francês Bernard Kouchner também participaram da chamada "Marcha Branca", que deve ser realizada em quinze cidades francesas.

Em Paris, a multidão se reuniu em frente ao Palácio da Ópera.

Kirchner na passeata

Cristina Kirchner, que realiza uma breve visita oficial à França, se juntou aos manifestantes no início da tarde, em companhia de Astrid, irmã da refém.

"Os que mais devem se esforçar pelo destravamento destes obstáculos são exatamente os que têm a responsabilidade de dirigir as instituições democráticas e de facilitar a troca humanitária", afirmou Cristina ao discursar no começo da manifestação a favor de Betancourt na capital francesa.

A presidente argentina, que amanhã tratará do tema dos reféns das Farc com seu colega da França, Nicolas Sarkozy, disse ainda que "os direitos humanos devem prevalecer sobre qualquer outra questão".

Betancourt debilitada

O médico que examinou a refém franco-colombiana Ingrid Betancourt, sequestrada há seis anos pelas Farc, concluiu que ela tem hepatomegalia (aumento do fígado), gastrite crônica, refluxo gastro-esofágico, malária, desnutrição, irritação no colo e uma forte dor no hipocôndrio direito.


AFP
asasasasas
Betancourt tem vários problemas de saúde

Segundo a TV Caracol, o médico, identificado como Helver Uriel Rodríguez, examinou Betancourt há pouco tempo e entregou à promotoria uma lista dos problemas de saúde da refém da guerrilha.

O médico, guerrilheiro confesso e que foi capturado há duas semanas no povoado de Mosquera, na região de Bogotá, confirmou que o estado de saúde da refém franco-colombiana é grave.

Segundo o doutor Camilo Novoa, consultado pela AFP, o diagnóstico revela que Betancourt tem um grave caso de malária não tratada, o que provocou a inflamação do fígado e pode levar a uma falência hepática.

O médico também advertiu que Betancourt pode sofrer de uma falência renal e até cardíaca por anemia.

A difícil situação da ex-candidata presidencial levou o governo francês a enviar na última quinta-feira uma missão médica a Bogotá, para tentar chegar à selva colombiana e socorrer Betancourt.

Até este domingo, a missão francesa permance na capital colombiana à espera da autorização das Farc para socorrer a refém.

Leia também:

Leia mais sobre: Ingrid Betancourt - Farc

    Leia tudo sobre: carla bruni

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG