Carla Bruni cria fundação para ajudar desfavorecidos na França

Paris, 23 abr (EFE).- A primeira-dama francesa, Carla Bruni-Sarkozy, criará uma fundação para facilitar o acesso à cultura e ajudar os segmentos mais pobres da população, como os sem-teto, os presos e os portadores de necessidades especiais.

EFE |

Em entrevista que será publicada neste sábado pelo jornal "La Tribune et moi", Bruni-Sarkozy afirmou que a associação trabalhará na Fundação da França e que colaborará em projetos concretos com outras entidades.

A primeira-dama francesa ressaltou que a instituição criada não procurará o apoio do público, ao contrário do que fez a esposa de Jacques Chirac, que anualmente promovia uma campanha de coleta de moedas de um centavo de euro para obras de caridade.

"Buscaremos parceiros de longa duração que estejam de acordo com a imagem e nos deem ideias (...) Buscamos parceiros privados. Tenho certeza de que isto também beneficiará as empresas. E não só em termos de imagem", disse.

Bruni admitiu que falou da fundação com a primeira-dama dos Estados Unidos, Michelle Obama, na recente visita do presidente americano, Barack Obama, à França, mas destacou que, por enquanto, a associação se centrará em território francês.

"No entanto, os fundos podem vir de qualquer lado", acrescentou.

A ex-modelo disse que a fundação apoiará projetos de âmbito cultural com o objetivo de que "a seleção pelo dinheiro e o entorno cultural não seja definitivo, para dar a todos uma igualdade de oportunidades".

A cultura "é uma riqueza à qual todo o mundo deveria ter acesso, seja qual for seu status social ou sua carteira (...). Para mim, o acesso ao conhecimento, à cultura e à leitura é um direito que cada criança, cada adulto deste país pode e deve ter", disse.

Bruni afirmou que a fundação está dando os primeiros passos, mas anunciou que, "em breve", abrirá um site com o nome e buscará projetos para apoiar. EFE lmpg/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG