Tamanho do texto

Paris, 6 abr (EFE).- Passados dois meses desde que se tornou primeira-dama da França, a cantora e ex-modelo italiana Carla Bruni é considerada elegante, moderna, simpática e discreta pela maioria dos franceses, mas, ainda assim, fica muito atrás de Bernadette Chirac na avaliação da população.

Segundo uma pesquisa publicada hoje pelo jornal "Le Parisien", que em uma reportagem analisa a forma como Bruni vem se moldando à nova função, 81% dos franceses acham que a mulher de Jacques Chirac, o antecessor de Nicolas Sarkozy na Presidência, foi a que melhor representou a França.

Atrás de Bernadette no ranking das melhores primeiras-damas, aparecem as esposas de Charles de Gaulle e de Georges Pompidou, com 70% das preferências, de François Mitterrand (69%) e de Valéry Giscard d'Estaing (59%).

Entre as mulheres de presidentes da V República francesa, Bruni só fica na frente de sua mais recente atecessora e segunda ex-muher de Sarkozy, Cécilia Ciganer, que, de acordo com a pesquisa, representou bem o país apenas para 36% da população.

Mas, por outro lado, 72% dos entrevistados não têm empatia por Bruni, e 55% acham que ela não tem senso político.

E apesar de 60% dos franceses acharem que atual primeira-dama ajudará a "modernizar" a imagem da França e de 47% acreditarem que ela vai contribuir para a promoção da cultura francesa no exterior, 64% pensam que ela não vai ajudar a melhorar a opinião que eles têm do chefe de Estado.

Sarkozy e Bruni se casaram em 2 de fevereiro, três meses e meio depois de o presidente ter se separado de Ciganer, que também voltou a se casar. EFE ao/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.