Organização humanitária revela que houve um "massacre" em Duekoue motivado pela crise política no país

A Caritas Internationalis elevou neste sábado para mil o número de mortos ou desaparecidos na terça-feira passada em um bairro da cidade de Duekoue, ao oeste da Costa do Marfim, por causa da violência que sofre esse país devido ao líder, Laurent Gbagbo, se negar a deixar o poder depois das eleições de novembro, que elegeu democraticamente Alassane Ouattara.

Em comunicado divulgado em seu site se indica que os dados foram elaborados pelo pessoal da ONG na Costa do Marfim que visitou a cidade em 30 de março.

O "massacre" aconteceu, acrescenta a nota, em um bairro da cidade controlado pelas forças leais a Alassane Ouattara, considerado pela comunidade internacional vencedor das eleições presidenciais de 2010.

A Caritas explicou que ignora quem é o responsável pelos assassinatos, mas ressaltou que é necessário realizar uma investigação que esclareça o ocorrido.

A Caritas condena em seu site os ataques a civis e assegura que a situação humanitária na Costa do Marfim se deteriora com rapidez.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.